Skip to main content
cronica

21 de abril e de gigantes

Livros de História do Brasil e o próprio feriado nacional nunca nos deixaram nos esquecer de um dos nossos maiores heróis, símbolo e mártir da Inconfidência Mineira, Tiradentes. O rosto barbudo representado em inúmeras obras de arte não revela em detalhes a trajetória do homem trabalhador, simples e bondoso, porém tenta transmitir a coragem daquele que ousou levar sua militância a um plano de sérias consequências frias e cruéis.

Difícil é encontrar um brasileiro e, mais especificamente, um mineiro que não saiba contar com alguns detalhes o triste fim de Joaquim José da Silva Xavier (Tiradentes). O homem, que perdeu os pais muito cedo, foi de tropeiro a dentista, como dita seu apelido, ainda ajudava os mais necessitados como podia. Mas foi com seu espírito revolucionário que Tiradentes haveria de marcar a História de nossa pátria.

Essa data poderia parar por aqui, mas 21 de abril vai além daquele trechinho do livro, sempre acompanhado pela foto de um homem de meia idade com barbas compridas. Muitos anos após Tiradentes, eis que surge Tancredo Neves, importante e famoso político mineiro, que também tem esse dia como lembrança de sua morte. Essa coincidência, ou apenas uma de muitas que envolvem as duas figuras históricas, só não seria maior se Tancredo pudesse visitar o consultório odontológico de Tiradentes no céu e ouvir dele, “devolva meu feriado”.

Se, por um lado, a execução de Tiradentes é conhecida em detalhes um tanto cruéis, a morte do político que já foi deputado, governador, Primeiro Ministro do Brasil e presidente (não chegando a tomar posse) é polemicamente questionada por inúmeras teorias criadas ao longo dos anos. Tudo diz respeito à conveniência do fato para a oposição da época, mas nada jamais foi comprovado.  

No Vale das Vertentes, talvez até para os são-joanenses seja difícil passar o feriado relembrando a figura do famoso conterrâneo carequinha, quando grandes eventos os esperam logo ao lado, na histórica Tiradentes. Contudo, a relevância do político marcado por grandiosa trajetória e, para os mais próximos, que sempre procurou trilhar caminhos limpos e do bem, não deve ser ofuscada pelo feriado de um só gigante. 21 de abril ainda poderia ser considerado o dia da coragem, quando as polícias Civil e Militar também são homenageadas. De volta ao campo político, a maior aniversariante do dia, com certeza, é a Cidade de Brasília e toda sua exuberância simbólica para nosso país.  

TEXTO/VAN: Samuel Fagner Alves

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: