5 curiosidades sobre Semana Santa em SJDR

Tradição e cultura chamam a atenção durante Semana Santa em São João del-Rei

 

 

São João del-Rei é uma cidade histórica cujas Igrejas do período colonial atraem a atenção de turistas e, nessa época do ano, muitos fiéis. A Semana Santa são-joanense é conhecida por suas celebrações que trazem à tona tradições perdidas em muitos lugares do mundo onde o catolicismo é a principal religião.Devido às peculiaridades da celebração na cidade, confira 5 dos fatos mais curiosos sobre a Semana Santa em São João del-Rei:

1. Domingo de Ramos à Quarta-feira de Cinzas

A primeira celebração da Semana Santa, que acontece há mais de 300 anos na cidade, consiste em abençoar os ramos, geralmente de loureiro ou oliveira, que são levados pelos fiéis. Em alguns lugares, como São João del-Rei, esses ramos abençoados são guardados e re-utilizados durante a Quarta-feira de Cinzas do próximo ano.  

2. Os ramos abençoados

Além de suas funções durante as celebrações, os ramos que foram abençoados são levados para casa pelos fiéis e guardados em quadros ou imagens de santos. Durante tempestades de relâmpagos, os ramos são queimados para pedir proteção a Deus.

3. Celebração do Ofício de Trevas

3. Ofício de Trevas é celebração rara durante a Semana Santa. – Foto/VAN: Isabela Souza

É celebrado durante a Sexta Feira Santa na Catedral Basílica de Nossa Senhora do Pilar no centro histórico são-joanense. Atualmente, a tradição do modo como é feita só ocorre no próprio Vaticano e em São João del-Rei. O objetivo da celebração é retratar o sofrimento de Jesus Cristo antes de morrer.

4. O Ofício e suas singularidades

No final da celebração do Ofício de Trevas, fiéis batem seus pés no chão para simbolizar a morte de Jesus. – Foto/VAN: Isabela Souza

A celebração recebe esse nome pela excentricidade de serem apagadas as quinze velas, que foram dispostas em um candelabro e são elas que perdem sua luz ao final de cada cântico promovido em latim. No final, quando resta apenas uma vela acesa, as luzes da Catedral se apagam. Neste momento, os fiéis batem os pés como forma de representar o momento em que Jesus deixa o mundo dos homens. As luzes se acendendo remetem a ressurreição.

5. A Procissão do Senhor Morto

5. Procissão do Senhor Morto é uma tradição perdida em muitas cidades do estado. – Foto/VAN: Yasmim Nascimento

Essa tradição de Sexta-feira Santa também se perdeu em muitos lugares de Minas Gerais, mas ainda está presente em São João del-Rei. A procissão representa o momento em que o corpo de Jesus é descido da cruz e levado para o seu sepulcro e é também um dos momentos mais importantes da Semana Santa.

 

Texto/VAN: Isabela Souza
Foto/VAN: Bárbara Morais, Isabela Souza, Yasmim Nascimento
Colaboração: Lara Aquino

Deixe uma resposta