A doação da vida em defesa da Pátria

Seguindo os passos do pai, Leonardo Antônio D’ Assunção Freitas demonstrou, desde muito cedo, o seu interesse pelo Exército Brasileiro. Em 1981, aos onze anos de idade, afastou-se do convívio de seus amigos de infância e familiares para ingressar no Colégio Militar de Belo Horizonte, onde cursou 1º e 2º Grau. 
Após a conclusão do ensino médio, prestou concurso, de âmbito nacional, para ingresso na AMAN- Academia Militar das Agulhas Negras – em Resende (RJ), onde realizou o Curso Superior de Formação de Oficiais do Exército Brasileiro, sendo declarado Oficial em 1992.
A partir da sua formação como Oficial do Exército, devido às peculiaridades da carreira militar, fixou residência em várias cidades e regiões do país. Francisco Beltrão -PR; Aracaju – SE; Rio de Janeiro – RJ, onde realizou o Curso de Aperfeiçoamento de Oficiais e recebeu o título de Mestre em Operações Militares; Montes Claros – MG e Guajará Mirim – RO foram algumas das cidades nas quais morou. 
Durante esse período, alcançou os diversos postos da carreira militar, até o posto de Major do exército, em 1998. Realizou vários Cursos de Operações Militares, como o Curso de Operações na Selva, Curso de Operações em Mergulho e Curso de Montanhismo Militar.
Após 30 anos de afastamento da sua cidade natal, retornou a São João del Rei, onde reside atualmente, servindo no 11º Batalhão de Infantaria de Montanha. Leonardo Freitas exerceu a função de Sub Comandante do Batalhão, tendo sido promovido ao atual posto de Tenente Coronel do Exército.
Ele compara a profissão militar com o sacerdócio, por existir uma dedicação exclusiva, além de outras dificuldades, como não serem assegurados os mesmos direitos dos servidores públicos civis, tais como adicional noturno, horas extras, adicional de periculosidade, o direito de greve e sindicalização, além de ser uma profissão que exige grande preparo intelectual e físico.
Durante toda a carreira, o destemido militar conviveu e ainda convive com diversos riscos, seja nos treinamentos, na vida diária ou nas operações militares. Possibilidades de danos físicos ou mesmo de morte são alguns dos desafios desses profissionais, que, além disso, comprometem a vida em benefício da pátria.
Soldado guerreiro que, mesmo com todas as dificuldades enfrentadas ao longo dos anos, tem a convicção de que a carreira militar lhe proporcionou plena realização profissional e pessoal, Leonardo Freitas possui um imenso orgulho de integrar uma instituição secular, permanente e essencial à segurança do país.
Orgulho também por ter contribuído para a formação moral, cívica e operacional de milhares de jovens que participaram da Força de Pacificação nas comunidades do Rio de Janeiro e das Forças de Paz, no Haiti. 
Além disso, participou de várias ações subsidiárias desenvolvidas pelo Exército de apoio às comunidades pobres em todo o território nacional, dentre elas, a distribuição de água às famílias do Vale do Jequitinhonha, o apoio médico às populações da Região Norte, e o apoio prestado na cidade de Petrópolis aos desabrigados pelas chuvas.

VAN/Di Ribeiro
Foto: Reprodução

Deixe uma resposta