A história dos bombeiros das Vertentes

bombeiro_helicoptero_simulacao

No dia 2 de julho é comemorado o dia nacional dos bombeiros, mais conhecidos como “anjos da guarda”. A profissão, que se tornou oficial no país por meio de um decreto de D.Pedro II no ano de 1856, tem o objetivo de combater incêndios, auxiliar a população em situações de perigo e desastres naturais e até mesmo fornecer atendimentos de urgência médica.

De acordo com o portal “São João del-Rei Transparente”, o primeiro corpo de bombeiros da cidade de São João del-Rei foi inaugurado no dia 03 de novembro de 1997 pelo então governador Eduardo Azeredo e pelo Prefeito Municipal Fernando Félix Vera Cruz. Com o objetivo de completar a equipe de bombeiros do município, no dia 2 de novembro de 1997 a cidade dos sinos recebeu um total de 10 Bombeiros Militares para atuar na cidade.

O tenente do corpo de bombeiros de São João del-Rei, Jorge Hélio Campos Pinto, explica que a profissão do bombeiro é extremamente gratificante:

– “O objetivo é atender da melhor forma possível, no menor tempo possível e estar sempre pronto para a demanda da cidade, buscando sempre diminuir as ocorrências”, comenta o tenente.

O grupo de bombeiros são-joanense também trabalha com projetos de conscientização e comunicação com a população local e regional. Um dos projetos realizado pelo grupo é o “Alerta Vermelho”. O programa de conscientização conta com a parceria da defesa civil da cidade e é realizado mensalmente. A finalidade do mesmo é visitar as casas dos moradores de São João del- Rei e região ensinando recursos de prevenção a incêndios e situações de perigo.

O morador são-joanense, Henrique da Costa, afirma estar satisfeito com o trabalho dos bombeiros da cidade e diz já ter visto a equipe salvar vidas:

“Gosto muito da atuação do corpo de bombeiros aqui de São João del- Rei. Vejo o grupo sempre trabalhando e já presenciei um incêndio em uma casa no centro da cidade. Os bombeiros chegaram rapidamente no local e conseguiram salvar as pessoas que estavam por lá”.

O Tenente Jorge Hélio Campos Pinto ainda comenta sobre seu amor a profissão e sua disposição a ajudar quem for preciso e quando for preciso, mas ainda brinca dizendo:

– “Queira Deus que a sociedade não precise dos bombeiros, porque toda vez que somos chamados alguém está em dificuldade”, finalizou.

Texto: Leonardo Duque/VAN

Foto: Divulgação

Deixe uma resposta