Festival alternativo é criado em SJDR

Evento organizado por alunos da Universidade Federal de São João del-Rei e pela comunidade São-joanense acontece em julho

FOTO: Divulgação
FOTO: Divulgação

No dia 25 de maio, a coordenação do Inverno Cultural, por meio da página da Universidade Federal de São João del-Rei no Facebook, informou que a edição de 2016 foi suspensa, devido à falta de captação mínima de recursos para a realização do festival, até então anual.

Diante do cancelamento, um grupo de alunos, músicos e pessoas que pertencem à comunidade artística de São João del-Rei decidiram promover o Festival de Inverno – Não deixe a cultura morrer. O tema escolhido pela organização faz referência àquele que a UFSJ usaria na edição deste ano do Inverno Cultural: “Os 100 anos do samba”.

Ana Martins, graduanda da UFSJ e membro da organização do evento, diz que, embora o tempo para produção seja curto, a expectativa é que tudo dê certo, “afinal, a cultura não pode morrer”. Ana explica que o evento deve contar com a ajuda de músicos, pintores, dançarinos e artistas de todas as áreas. “Todos parecem estar muito animados por ressaltar e valorizar a diversidade que SJDR dispõe”, salienta. A estudante acredita que a região tem muito a oferecer e que não há necessidade de trazer ninguém de fora para que o festival se torne uma importante atividade cultural. “É uma mobilização de cunho popular. Nós estamos fazendo o que deveria ser feito sempre, dar espaço para os artistas locais,” afirma.

O estudante Rafael Framil considera incrível a iniciativa dos alunos e da comunidade São-joanense. Ele acredita que, com esforço e dedicação, toda a comunidade de artistas, músicos e voluntários em geral, cada um contribuindo de uma forma, será possível realizar um evento inesquecível. “É triste ver como a arte e a cultura, muitas vezes, não são prioridade. Acho super bacana e apoio qualquer atividade realizada de forma voluntária, visando a um bem maior”, observa.

Para a moradora de São João del-Rei, Letícia Mendes, a proposta é muito significativa, uma vez que as pessoas devem ter mais acesso à cultura. Letícia frisa que lazer e cultura são direitos fundamentais previstos na Constituição. “Se, infelizmente, o governo não consegue suprir todos os direitos, nós devemos procurar suprir esse vazio, essa falta, para que a gente tenha melhor qualidade de vida.”

 

Edital para seleção de propostas e artistas convidados

O edital para a inscrição de trabalhos (apresentações, oficinas, etc.) recebeu propostas entre os dia 1° e 10 de junho. Segundo Bianca Côbbo, da organização, foram, aproximadamente, 100 inscrições.

Chico Lobo e Diego Mendonça, ambos São-joanenses de talento reconhecido nacional e internacionalmente, estão confirmados entre os artistas convidados. Diego frisa o que publicou em seu perfil no Facebook: “estamos juntos nessa! Sim, eu vou participar! Quero fazer parte! Vou aceitar o convite que a organização me fez. Quero levar minha arte para a minha amada cidade. Quero fazer a diferença. Quero estar junto de artistas, leigos, amantes da arte, iniciantes, veteranos, idosos e crianças.”

 

Financiamento coletivo

Apesar de toda a ajuda que o público e os artistas têm demonstrado, a organização declara que o evento precisa ainda de mais apoio, principalmente financeiro, para cobrir as despesas necessárias à infraestrutura. Os organizadores iniciaram um financiamento online, anexado à página oficial do evento. Todos podem contribuir com a doação de qualquer quantia a partir de R$10,00.

 

TEXTO/VAN: Juliana Galhardo

Deixe uma resposta