Grupos fizeram o cortejo pelo centro histórico da cidade

Apresentações culturais celebram a Semana da Consciência Negra em SJDR

Cultura afro esteve presente nos eventos que simbolizam a luta pela igualdade racial

Grupos fizeram o cortejo pelo centro histórico da cidade
Grupos fizeram o cortejo pelo centro histórico da cidade

São João del-Rei foi palco de diversas manifestações culturais em comemoração a Semana Municipal da Consciência Negra. Durante três dias, a cultura afro esteve presente nos eventos que simbolizam a luta pela igualdade racial e os direitos dos negros. A Semana reuniu movimentos, grupos sociais são-joanenses e escolas parceiras da cidade.

Organizado pelo Conselho Municipal de Igualdade Racial de São João del-Rei, a intensão do evento foi reunir vários movimentos sociais a fim de fortalecer a cultura presente e fazer com que as entidades ocupem efetivamente os espaços da cidade. Criado em 2013, o Conselho se reúne mensalmente para discutir politicas públicas de igualdade racial.

Na noite do dia 20, a roda de conversa, Kizomba do Zumbi, discutiu, entre outros assuntos, o preconceito racial e a representatividade negra e a religião. O debate levantou questões cotidianas e as diversas formas de preconceito enfrentadas pelos negros no dia a dia. A roda contou com a participação de grupos de vários bairros da cidade. 

Apresentações de capoeira, rap e hip-hop agitaram a manhã de sábado, 21, no coreto da Avenida Presidente Tancredo Neves; o movimento “A Juventude exige igualdade e vida” recebeu o grupo Pilão de Nhá, do distrito de Caquente que se apresentou no evento. 

Marina Paula se apresentou no segundo dia de evento
Marina Paula se apresentou no segundo dia de evento

Outra apresentação foi da aluna de psicologia da UFSJ Marina Paula, que cantou raps escritos por ela e que defendem a mulher negra. Moradora do bairro Senhor dos Montes, a estudante diz que sempre se interessou pela temática: “Participo do movimento de hip-hop há nove anos. Sempre tive vontade de aprofundar meus conhecimentos sobre o racismo, no ano passado comecei um projeto dentro da Universidade na área, para ampliar meus conhecimentos sobre o assunto”.

Atualmente, Marina participa do grupo Dandara da UFSJ. Segundo a estudante, o grupo trabalha dentro de duas vertentes, no fortalecimento das mulheres negras, em que são trocadas experiências e trabalhos externos, como oficinas em escolas, bairros e outras intervenções que trazem elementos culturais para o movimento.

Integrante do grupo Raízes da Terra há mais de duas décadas, Dona Vicentina Neves realiza trabalhos voltados para a defesa e igualdade racial. Vicentina, que faz parte da coordenadoria de igualdade racial de São João del-Rei, explica a importância de trabalhar com a juventude: “As escolas estão se abrindo mais para esses trabalhos, a conscientização tem que começar com as crianças. Ninguém nasce racista, o racismo é naturalizado na nossa vida”. 

Dona Vicentina ainda fala sobre os casos de racismo no Brasil. “É preciso ampliar as discussões sobre o assunto, ir além das comemorações, principalmente projetos voltados para a ascensão da mulher negra na sociedade”, finalizou.

Acorda São João 

Acorda São João encerrou a Semana Municipal da Consciência Negra em SJDR
Acorda São João encerrou a Semana Municipal da Consciência Negra em SJDR

Com batuques, danças e cantos, o tradicional Acorda São João finalizou no domingo, 22, as comemorações da Semana Municipal da Consciência Negra. Formado pelos grupos e entidades da cultura afro de São João del-Rei, a concentração aconteceu na praça do Bonfim e depois saiu em cortejo pelos pontos turísticos da cidade, onde realizou intervenções. Participaram do Acorda, Capoeiristas, Congadas, Folia de Reis, Maracatu e o Grupo de Afro Reggae.

Lavras

A cidade de Lavras também está se mobilizando pela celebração da Consciência Negra. A Prefeitura Municipal, junto com outras entidades que lutam por igualdade racial, está realizando desde a quinta, 19, uma série de eventos como dança, batalha de Mcs, Cinedebate e Marcha Afro em comemoração à data. Por meio de nota, a assessoria de comunicação afirmou que o racismo deve ser combatido, e que, infelizmente “ainda encontra-se cultural e institucionalmente enraizado” nas pessoas.

Os eventos na cidade ainda não terminaram. Amanhã, 25, às 15h30, ocorre no Auditório do Departamento de Educação (UFLA), o Cine-Debate: Sem Pena. Finalizando a programação, no sábado, 28, acontece, às 15h na praça Dr. Augusto Silva, o 2º Encontro do Orgulho Crespo.

Confira o ensaio fotográfico “Semana da Consciência Negra em SJDR”
TEXTO/VAN: SABRINA KELLY   – Lavras: TALITA TONSO

FOTOS: SABRINA KELLY

Deixe uma resposta