Athletic: de volta às vitórias

Depois
de empatar na estreia do returno no Amador, o Athletic voltou a vencer e está
cada vez mais próximo da classificação para as semifinais do campeonato. Dessa
vez, a vítima foi o Figueirense, que perdeu por 3 a 0, na manhã desse domingo,
no estádio Paulo Campos, ficando mais distante do sonho de avançar para a
próxima fase.
Em
situação complicada no campeonato, o Figueirense começou o jogo indo a frente.
Aos 20 minutos, o experiente Keko perdeu uma bela chance de abrir o placar.
Porém, a velha máxima do futebol, “quem não faz leva”, foi cumprida e aos 39,
Lucas colocou o Athletic em vantagem no placar após falha do zagueiro Lelei,
que “furou” a bola.
“Nos
primeiros 30 minutos nós mandamos no jogo. Não deixamos eles jogarem. Mas
infelizmente o gol com a falha do zagueiro abalou o time e a consequência foi a
derrota”, lamentou o experiente Marcelinho.
Após
o intervalo, o Athletic voltou mais ligado e logo aos seis minutos ampliou a
vantagem; Edvaldo empurrou para as redes após cruzamento de Marco Aurélio. O
atacante ainda anotou o seu segundo gol, dando números finais à partida.
Com
o resultado, o Athletic está na vice-liderança com 17 pontos, o próximo desafio
do time é o São Caetano. Já o Figueirense, amarga a lanterna da competição com
apenas seis pontos. Na próxima rodada a equipe faz o “jogo dos desesperados”
contra o Minas.

Bronca com a Arbitragem
Apesar
do placar dilatado, o que mais chamou a atenção na partida foi o excessivo
número de cartões. Além de quatro cartões amarelos, o árbitro Denilson Simões
de Carvalho aplicou mais quatro vermelhos, o que estimulou numerosas  reclamações .
Pelo
lado do Figueirense foram expulsos Keko, que levou dois amarelos, e Marcelinho,
que se envolveu em uma confusão com Rafael (Athletic), que também foi expulso;
o galo ainda teve expulso o meio-campo Beto, que também é treinador da equipe e
fazia sua estreia no time titular.
“Foi
um resultado merecido, esse placar que nós construímos. O time jogou muito bem
hoje, entramos bem focados. Pena que a gente teve esses erros de arbitragem,
que acabam apagando o mérito da equipe. O problema é que eles alteram muito
psicologicamente com um grito”, comentou Beto.
Pelo
lado do Figueirense, quem reclamou da arbitragem foi o técnico Neném, do
Varzeano:
– “O que atrapalha o jogo e a competição são os juízes. Não tem motivo prá
expulsar quatro jogadores em uma partida dessa aqui. Eles querem aparecer mais
que os jogadores”.
Outros jogos – No
segundo jogo do dia, o Social conseguiu uma virada por 3 a 2 sobre o São
Caetano, aos 45 minutos da etapa final. Com a vitória, o Xavante do Matozinhos,
que chegou a ficar com a liderança ameaçada pelo Athletic, se manteve em
primeiro na competição. Leandro Gambá e Mineiro, duas vezes, marcaram pelo
Social. Pelo lado do São Caetano, Robinho e Dudu balançaram a rede. Em Santa
Cruz de Minas, Minas e XV de Novembro empataram em 0 a 0 e, há quatro rodadas
da próxima fase, estão distantes da classificação.
Texto: João Henrique Castro e Mariana Veríssimo/ VAN
Foto:
Suellen Jacques 

Deixe uma resposta