FOTO: Divulgação

Atrações de Festival de Inverno alternativo são divulgadas

Edição colaborativa traz nomes como Chico Lobo e Todos os Caetanos do Mundo

FOTO: Divulgação
FOTO: Divulgação

Em coletiva de imprensa realizada na manhã de ontem, 28, a organização do Festival de Inverno – Não Deixe a Cultura Morrer -, de São João del-Rei, anunciou a programação dos nove dias de evento. Serão 102 atrações dos mais variados estilos, que incluem música, dança, teatro, além de oficinas. A equipe ainda aguarda a confirmação de dois artistas de destaque.

Foram mais de 100 inscrições e, até o momento, Chico Lobo, Todos os Caetanos do Mundo, Dona Jandira, Samba na Praça, James Baby, WitchHammer e Preto Massa estão confirmados na programação musical, que será definida até sexta-feira. A abertura contará com um cortejo. Durante o evento, são realizadas 24 apresentações musicais, 8 espetáculos teatrais, 5 exposições artísticas, 23 oficinas, 7 mostras de curtas, além de ciclos de palestras e espetáculos de dança.

 

O Festival

O Festival de Inverno – Não deixe a cultura morrer- está sendo organizado de forma colaborativa. É uma iniciativa de alunos da Universidade Federal de São João del-Rei e da comunidade artística da cidade, uma vez que o tradicional Inverno Cultural, promovido há mais de 20 anos pela UFSJ, não será realizado este ano por falta de recursos. O festival alternativo “foi uma ação autônoma dos próprios artistas de não deixar o festival morrer, no sentido de promover um evento de porte menor, valorizando a cultura regional de forma colaborativa”, explica um dos organizadores, Thiago Morandi.

Sem investimento inicial, o evento conta com a colaboração voluntária, além da arrecadação online, feita por meio do crowdfunding, para custear os gastos com infraestrutura. “Estamos tentando atrair o voluntariado dos universitários, já que temos o oferecimento de certificados e horas acadêmicas”, conta uma das organizadoras, Bianca Côbbo.

“Nós estamos dispostos a defender uma causa”, diz Thiago Morandi FOTO/VAN: Mariana Ribeiro
“Nós estamos dispostos a defender uma causa”, diz Thiago Morandi FOTO/VAN: Mariana Ribeiro

Há anos, o Inverno Cultural compõe o calendário oficial de eventos da cidade. De acordo com a assessoria de comunicação da Prefeitura, o cancelamento do festival foi preocupante para o município. “É um evento tradicional, que beneficia comerciantes, a hotelaria e aquece todo o setor turístico durante o mês de julho”. Por isso e também como forma de valorização da cultura local, a Prefeitura apoia a edição colaborativa.

A Universidade e a Prefeitura vão auxiliar com espaços e equipamentos, enquanto a Associação Comercial contribui de forma financeira. Segundo a assessoria da Prefeitura, alvarás, fechamento de trânsito, teatro, isenções das taxas, limpeza urbana e energia estão garantidos. As licitações dos banheiros químicos e do palco já estão sendo negociadas.

As oficinas acontecem no Campus Santo Antônio, da UFSJ, e os shows, na Avenida Presidente Tancredo Neves. As exposições ocorrem no Museu Regional, no Museu de Arte Sacra e no Solar da Baronesa, além do Memorial Dom Lucas e do espaço FUNEVES – Spazio Stella. O Teatro Municipal e o Centro Cultural Feminino também recebem atividades.

O Festival promove a reflexão sobre a cultura regional, questionando sobretudo o formato de organização do Inverno Cultural e do Festival colaborativo. “O debate ‘Cultura em São João del-Rei’ dá voz aos artistas e à população, com a presença de personagens relevantes para a cultura local”, avalia Morandi.

 

Ouro Branco, Divinópolis e Sete Lagoas

Nas edições anteriores do Inverno Cultural, as cidades de Ouro Branco, Divinópolis e Sete Lagoas também receberam eventos culturais. Devido à localização dos demais campi da UFSJ, suas Prefeituras mostraram-se interessadas em sediar o Festival de Inverno. “Teve muita demanda de pessoas de fora, que perguntaram se o festival iria acontecer nas outras cidades também, mas não foi possível”, diz Bianca.

Houve um número significativo de inscrições de atrações culturais vindas desses locais. Segundo Bianca, a organização esteve aberta à recepção dos interessados, desde que com a ajuda de custo destes.

 

TEXTO/VAN: Mariana Ribeiro

Deixe uma resposta