febre aftosa

Atraso na vacinação contra febre aftosa pode causar punição

Cerca de 1 mil produtores rurais deverão vacinar o gado bovino para prevenir contra a febre aftosa

 

A segunda etapa da vacinação contra a febre aftosa, em São João del-Rei, teve início no dia 18 de outubro e irá até o dia 29 de dezembro. Os produtores rurais deverão fazer o recadastramento no IMA – Instituto Mineiro de Agropecuária, para vacinar o gado de zero a vinte e quatro meses de idade, o chamado gado novo. Os documentos necessários são o xerox da identidade, CPF, comprovante de residência e um email, para que o produtor possa acompanhar a movimentação do seu gado, no site do IMA.

A febre aftosa é uma infecção viral que se espalha rapidamente pelo gado, por meio do  contato direto com animais infectados, secreções ou equipamentos contaminados com o vírus, em casos raros ele pode ser transmitido pelo ar. Os animais contaminados, geralmente, transmitem a doença no período de incubação e manifestação da doença, os mais afetados são os animais jovens. A infecção viral pode causar febre e vesículas (aftas), geralmente na boca e nos pés de animais como bovinos, caprinos(cabras), ovinos (ovelhas) e suínos, e até mesmo morte nos mais jovens.

Em maio ocorre o cadastramento para a primeira etapa da vacinação de todo o rebanho, não importando a idade, isso diminui as chances de que ocorra a proliferação do vírus. Tanto a compra das vacinas quanto a aplicação são de responsabilidade do produtor rural, caso ele tenha alguma dúvida pode-se procurar a Secretaria de Agricultura para pedir orientação. O veterinário na Secretaria de Agricultura, Cacinho Geraldo, explica que o papel da secretaria é apenas ajudar na divulgação, orientação da documentação e demais informações.

Os produtores também poderão ter a consultoria da Agrobio, um projeto de extensão da UFSJ, que firmou uma parceria com a prefeitura para ajudar os produtores rurais de toda a região no melhoramento  da produção de leite, do meio ambiente, da implantação de horta orgânica e de projetos de paisagismo. O diretor de projetos da Agrobio, Gabriel Vieira, criticou o fato do governo não orientar o manejo adequado para efetuar a vacinação. “A gente vai estar junto com a Secretaria de Agricultura dando assistência para os produtores de como proceder com a vacina, pois simplesmente o governo impõe a vacina e não ensina como aplicá-la”, destacou.

Atualmente, São João del-Rei possui 74 mil cabeças de gado, 43 mil delas produzem cerca de 44 milhões de litros de leite, uma epidemia do vírus poderia causar grandes impactos econômicos, não só ao município, mas até mesmo ao país. Existe uma punição para quem deixar de vacinar o rebanho, é cobrada uma taxa por cada cabeça não vacinada. O fiscal agropecuário do IMA, Marcos Antônio Valle, explica que algumas propriedades são selecionadas para coletar o sangue dos animais e verificar se houve eficácia na vacinação, mas garante que os produtores estão atentos aos prazos. “O governo já incentiva a vacinação há mais de 30 anos, então já é esperado que todos estejam atentos”.

A Secretaria de Agricultura se localiza na Rua Santo Elias, 90, ao lado da igreja de Nossa Senhora do Carmo, no centro histórico da cidade, telefones (32) 3372-7790/7760.

 

Texto/Van: Leonardo Emerson
Foto/Reprodução: Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Deixe uma resposta