damae2

Audiência pública discute projeto de instalação de hidrômetros na cidade de SJDR

A reunião, realizada no fórum, teve início ás 19 horas e contou com a presença de servidores do DAMAE, vereadores, vice-prefeito e da população

 

Com o intuído de discutir a viabilidade da hidrometrização em São João del-Rei, o DAMAE – Departamento Autônomo Municipal de Água e Esgoto realizou, pela segunda vez, uma audiência pública, no dia 05 de Outubro, que contou com a presença de representantes políticos e de cidadãos. A bancada foi composta pelos vereadores Dudu e Lívia, o consultor econômico Paulo Giovanni, e o diretor do DAMAE, Claré.

O vereador Dudu presidiu o debate, que foi marcado por alguns momentos de tensão. Foram discutidas a questão da falta d’água em alguns bairros e a terceirização da manutenção dos hidrômetros. De acordo com Paulo Giovanni, economista, gestor público e especialista em processos licitatórios: “O faturamento será do DAMAE e uma empresa será contratada apenas para fazer a leitura dos hidrômetros”. O diretor do DAMAE, garante que o problema de falta d’água nos bairros acabará a partir da instalação dos hidrômetros.

De acordo com o vereador, o processo funcionará em duas etapas. Primeiramente cerca de 25 mil hidrômetros serão instalados na parte central e mais produtiva da cidade para depois abranger outras áreas. A estimativa é de que em um período de no máximo 7 anos, SJDR seja um município em sua totalidade hidrometrizado.

Audiência pública no Fórum da Comarca em São João dei-Rei
Audiência pública no Fórum da Comarca em São João dei-Rei. – Foto/VAN: Lucas Teixeira

A vereadora Lívia fez considerações acerca de um projeto de água na cidade e falou sobre uma sugestão recebida por Adriano Nascimento,“ ele acha que ao invés da empresa pagar pelos hidrômetros, as pessoas podiam arcar com os custos ,podendo haver economia ou não, ou seja, uma adesão voluntária aos hidrômetros”

Segundo ela, ao possibilitar que uma empresa cobre pela diferença no preço da água, a população estará “dando” água para essa empresa, sendo que a água é um patrimônio do município “Vamos dar isso a uma empresa? Isso me preocupa.” Em resposta, o diretor do DAMAE, Claré, disse “É uma imposição que o recurso seja quitado pelo contribuinte através do seu gasto, o que podemos fazer é estabelecer a nossa forma de trabalho. Em pouco tempo não teremos água aqui nesse município, hoje São João ainda tem um bom potencial hídrico, o que em pouquíssimos lugares desse país podemos encontrar; 90% de toda nossa água vem de nascentes.”

Ele ainda alega que “Seria ideal se existisse investimento financeiro para a captação, tratamento e distribuição de água e tratamento de esgoto. Em todas essas fases somos falhos, nós captamos muito mais do que o necessário, nosso estudo demonstra que daqui a 18, 24 meses poderemos manter reserva de água. ou seja, diminuir a captação. Isso se o projeto se concretizar… Nós cobraremos o real valor do que cada um de nós consome.”

Esse debate também foi colocado em pauta na plataforma online do DAMAE, www.damaesjdr.mg.gov.br, dizendo o seguinte “Visando o desenvolvimento sustentável, o crescimento e a modernização do abastecimento de água em nossa cidade, você é a FAVOR ou CONTRA HIDROMETRAR São João del – Rei”. Por enquanto no andamento da pesquisa os votos a favor, ganham em disparada, com uma diferença de 50 votos.

 

Texto/VAN: Júlia Ribeiro, Lucas Teixeira
Foto/VAN: Lucas Teixeira

Deixe uma resposta