Cidade das Rosas receberá novo presídio

Barbacena é selecionada no Plano Mineiro de Humanização do Sistema Prisional do governo de Minas

A cidade de Barbacena será contemplada com a construção de um novo presídio, após um anuncio do governador de Minas Gerais. O governador irá construir em todo o estado, 11 novos presídios. O edital referente a Barbacena poderá sair ainda este mês e o presídio deverá ficar pronto em 10 meses após o início das obras. 
Estima-se que a nova unidade prisional da cidade, que será construída no Distrito de Pinheiro Grosso ficará pronta em menos de um ano, com uma capacidade de 388 detentos. Com recursos do governo estadual e federal, as obras terão um investimento de mais de 13 milhões e a nova unidade substituirá a Cadeia Municipal localizada há muitos anos no centro da cidade.

As opiniões acerca deste projeto estão divididas. O vereador de oposição Carlos Roberto o “Kikito” disse que é contra a forma como foi construída a proposta, por não ter acontecido qualquer diálogo com a população daquele distrito. “Não sou contra a construção de presídios, sou contra o formato que se adota ao impor para uma comunidade a obra. O ideal seria notícias de investimentos em Escolas (que aliás estão sucateadas em sua grande maioria), também carecemos em nossa região de investimentos em emprego, portanto a vinda de pequenas industrias traria alento, melhor distribuição de renda e com isso melhores resultados de IDH para nossa região”, conclui o vereador.

O advogado trabalhista Name Amin Feres apoia a construção do presídio devido a condições do atual prédio ser muito antigo e já ter sua estrutura comprometida. Feres destaca ainda que a capacidade máxima de ocupação da cadeia é de 112 detentos, hoje ocupada com aproximadamente 270. “Essa obra deve ser feita distante do povoado de Pinheiro Grosso, pois se não, ela pode botar em risco a segurança das pessoas que moram lá. Teria de ser em um lugar mais isolado para que pudesse ser feito uma segurança rigorosa em torno. Claro que ninguém quer um presídio na sua cidade, a necessidade de um aqui supera” afirma o advogado.

Em conversa com o morador do Distrito de Pinheiro Grosso, Sebastião Benedito de Ramos, 61 anos, relatou que se preocupa com a imagem do distrito que pode ser comprometida e se torna receoso em comparações. Como exemplo ele citou Ribeirão das Neves, local ironizado e chamado por outras regiões do Estado de ‘Ribeirão das Trevas’. Ramos acrescenta: “Se a gente ouve falar de tantas rebeliões, se lá não tem segurança, por que aqui vai ter? Acho que não vai pegar muito bem mesmo quando alguém me perguntar: Você é de lá? Pois quando cita a cidade de Ribeirão das Neves, todo mundo acha que esse local pra morar não é indicado”

Carla Fabíola Paulino, 29 anos, empresária e comerciante, concorda em partes. Paulino acredita que o empreendimento terá mais vantagens se ocasionar mais oportunidades de empregos para os moradores da região. “E de repente quem sabe assim, eles vão correr atrás de melhorias para a nossa comunidade” acrescenta ela.

Texto: VAN/Kellen Lanna

Deixe uma resposta