Skip to main content
FOTO: Radar Amazônico

Campanha de vacinação contra H1N1 terminou na última sexta, 20

A vacinação imunizou 21.361 pessoas dos grupos de risco

FOTO: Radar Amazônico
FOTO: Radar Amazônico

Após antecipar a distribuição de 12 mil doses da vacina contra H1N1, a Prefeitura de São João del-Rei solicitou mais doses ao Estado. Depois do dia 30 de abril, dia D, a procura pela imunização aumentou. A estimativa da campanha, iniciada no dia 9 de maio e finalizada na última sexta-feira (20), era de alcançar 22.320 São-joanenses.

Uma grande demanda neste ano acarretou a falta da vacina em diversas regiões da cidade. A técnica em enfermagem do posto de saúde do bairro Bonfim, Dulcineia Ferreira, é uma das encarregadas da vacinação na comunidade e informa que o posto fica diariamente lotado. “A demanda está muito grande e estava em falta até um tempo atrás. Agora, estamos recebendo as vacinas regularmente, já foram mais de 1.000 pessoas vacinadas”, conta.

 

Prevenção

Segundo a Prefeitura, não existe nenhum caso confirmado de H1N1 até o momento no município. Espera-se alcançar a maioria do público-alvo pela ampla divulgação. “A campanha foi nacional, com ampla divulgação pela mídia no país. Aqui no município, avisamos nas rádios locais, na TV Integração JF e na Campos de Minas, além de informes  no site e  no Facebook da prefeitura e nas unidades de saúde”.

Apesar de ser destinada a grupos de risco, o estudante João Vitor Santos conta que já tentou ser imunizado três vezes no posto do Largo do Carmo. “Em uma das vezes que fui ao posto, as vacinas acabaram em trinta minutos, e depois disso, essa cena foi se repetindo”. João diz que vai continuar tentado se vacinar ao longo deste período, pois considera a doença perigosa. “Nesses tempos, todos ficamos muito vulneráveis, assim como crianças, grávidas e idosos”, conclui.

A campanha para vacinação contra a gripe H1N1 teve início em São João del-Rei no dia 18 de abril, antecipada para grávidas, mulheres que deram à luz em até 45 dias e crianças de 6 meses a 5 anos, já que, segundo a Prefeitura, havia vacinas em estoque. Os idosos tiveram que esperar até o dia 30 do mesmo mês, o dia D.

 

Lavras conta cinco casos e uma morte por H1N1 confirmados

Em Lavras, a vacinação do grupo de risco contra a H1N1 começou no dia 14 de abril. Mais de 22.500 pessoas já foram vacinadas. Segundo nota divulgada pela Secretaria de Saúde, a meta proposta pelo Governo Estadual de vacinar no mínimo 80% de cada grupo de risco já foi atingida. “Os primeiros grupos a atingirem o que foi proposto pelo Governo Federal foram o dos profissionais da saúde (128,76%) e o dos idosos (91,77%). No grupo das gestantes e mulheres pós-parto, a procura ainda é pequena – 52,91% e 60,47% respectivamente.”

A última estimativa da Fundação Ezequiel Dias (FUNED), laboratório em Belo Horizonte que está analisando as amostras de sangue enviadas, realizada no dia 3 de maio, mostra cinco casos positivos de H1N1 confirmados na cidade, dos quais um óbito. Além disso, segundo a Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Lavras, há mais 18 casos em análise, incluindo outro óbito. Os resultados, porém, podem demorar a sair. “A FUNED encontra-se em paralisação parcial de suas atividades, portanto, a emissão de resultados de exames tende a atrasar consideravelmente”.

Três lotes da vacina já foram distribuídos na cidade desde o dia 14, e o quarto  chegou nessa sexta-feira (20). As unidades receberam 3.000 doses, subdivididas da seguinte forma: cerca de 400 doses para as gestantes e as segundas doses para todas as crianças que foram vacinadas pela primeira vez;  2.600 doses foram divididas para as 13 salas de vacina do município, cada unidade recebeu o quantitativo de 200 unidades.

A prefeitura demostra contentamento com a campanha de vacinação e afirmou que a situação está, por hora, sob controle.

 

TEXTO/VAN: Clara Rita, Mariana Ribeiro e Talita Tonso

COLABORAÇÃO: Camille Gallo e Rosana Faria

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: