1

Campo das Vertentes comemora o dia da Consciência Negra

Os quilombos, locais de refúgio dos escravos africanos e afrodescendentes, deixaram no continente americano muitas comunidades quilombolas que reúnem descendentes de escravos, onde as manifestações culturais têm forte vínculo com o passado. Na região do Campo das Vertentes existem cinco, segundo a Federação de Comunidades Quilombolas de Minas Gerais, Jaguará e Pamital, em Nazareno, Curralinho dos Paulas, em Resende Costa, e Santo Antônio do Morro Grande, em Ressaquinha.
Na cidade de Carrancas haverá apresentações culturais no dia 22, das 8h às 11h40, no salão de eventos da Escola Estadual Sara Kubitschek. Segundo Maria Seleste, professora da instituição, “o projeto Consciência Negra e Paz na Escola tem o objetivo de aproximar alunos, professores e comunidade, além de promover a conscientização e a paz no ambiente escolar”.
Em São João del-Rei, destaca-se entre as festividades o desfile da Beleza Negra, no dia 22, às 20h, no Salão Nobre da Prefeitura. No mesmo dia será realizado o 1º Encontro de Jovens Negros, às 14h, no Campus Santo Antônio, da Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ). Em Itutinga, o dia 20 foi marcado por apresentações culturais e debates. No sábado (22), será a vez do desfile Miss Beleza Negra, às 22h, no Restaurante do Jorge.
Sobre a data
A data de 20 de novembro foi instituída oficialmente pela lei nº 12.519, de 10 de novembro de 2011. A data faz referência à morte de Zumbi, o então líder do Quilombo dos Palmares, situado entre os estados de Alagoas e Pernambuco, na região Nordeste do Brasil. Zumbi foi morto em 1695, na referida data, por bandeirantes chefiados por Domingos Jorge Velho.
Zumbi dos Palmares nasceu livre, em 1655, na Serra da Barriga, União dos Palmares, Alagoas. Neto de Alqualtune, não permitiu a submissão de seu povo ao jugo da Coroa Portuguesa, pois queria a liberdade para todos, dentro ou fora do Quilombo. Persistiu na luta e tronou-se líder do movimento, sendo ferido em 1694, quando a Capital Palmares foi destruída.
Texto: Andreza de Cácia, Camilla Silva e Thays Andressa
Charge: Douglas Gonçalves

Deixe uma resposta