Centro Cultural Feminino expõe bordado e crochê

Bonecas de pano são produzidas pelas União e Arte Vicentina

      Está aberta até
o próximo dia 21, quarta-feira, a Exposição Artesanal do Centro Cultural
Feminino, em São João del-Rei. Peças decoradas como panos de prato, enfeites
natalinos, colchas de fuxicos e bonecas infantis são produzidas manualmente por
mulheres que usam de criatividade e técnica, mantendo o desejo de sua valorização.
Guigui esbanja carisma ao falar do Centro Cultural
       Esse ano, além
do trabalho próprio, o Centro Cultural Feminino abriu espaço para artesãs de outras
associações que desenvolvem a arte do bordado e do crochê. “União e Arte
Vicentina”, do Bairro do Tijuco; da Associação de Proteção e Assistência aos
Condenados (APAC); Vó Maria, de César de Pina e as Garobinhas, de Ritápolis são
grupos “que vem complementar o nosso espaço”, como considera a coordenadora de bordado,
Neli Lúcia Silva, a Guigui.
           Mãe de cinco
filhos, Guigui faz parte do Centro Cultural desde a sua fundação. Para ela, a
parceria com outras entidades possibilita a troca de conhecimentos sobre a arte
de bordados. “Eu digo que cada um tem um pensamento diferente e a gente aprende
um pouco mais conhecendo novas pessoas”, diz.
Dona Abigail borda desde criança
          Quem também
dedica bom tempo de seu dia na criação dos bordados é a senhora Abigail Novaes.
Aposentada há 35 anos, ela concilia os afazeres do centro cultural com o ofício
de paramentar a Igreja Matriz de Nossa Senhora do Pilar. “Eu gosto muito de
trabalho com agulhas. Desde criança, minha mãe já mexia com isso, eu nasci
dentro de um balaio de linhas”, brinca.
           As artesãs do
movimento União e Arte Vicentina, apoiado pela Conferência São Vicente de
Paulo, no bairro do Tijuco, demonstram belos produtos feitos à mão. Lucilaine
de Carvalho deixou os afazeres de doméstica para se dedicar ao artesanato e diz
se sentir honrada pelo convite. “Como tivemos a oportunidade de vir pra cá, eu
adorei. Sempre passei pela Rua da Cachaça, mas tinha vergonha de entrar”,
revela.
Lucilaine faz parte do grupo amparado por vicentinos.
           Os trabalhos
expostos estão à venda para os visitantes. A renda é revertida para a
manutenção do Centro Cultural Feminino, localizado na Rua da Cachaça, 42, no
centro de São João del-Rei. O local é aberto diariamente, com horário de
visitação das 14h às 18h.
           Fundação
         O Centro
Cultural Feminino foi fundado em 1986, fruto do movimento Muda Brasil, contra a
Ditadura Militar. Orientadas por Maria Amélia D’ângelo, mulheres que se uniram
contra a discriminação feminina no período da repressão puderam criar um espaço
onde há 25 anos se dedicam aos trabalhos manuais. 
     Atualmente, além da
produção manual, o local serve para abrigar grandes amizades, boas conversas e
muitas risadas. “É uma terapia para mim isso aqui. Mesmo que sem perceber, é
sim”, completa Abigail.
       
        Reportagem e Fotos: Eduardo Maia
       
        —
Para copiar e reproduzir qualquer conteúdo da VAN, envie e-mail para vanufsj@gmail.com, solicitando a reportagem desejada. É simples e gratuito.

Deixe uma resposta