Chico por Francisco

O Curso de Comunicação Social/Jornalismo da UFSJ recebeu, no mês de agosto, o último professor que compõe o quadro de docentes da graduação. Francisco Ângelo Brinati, vulgo Chico, 32 anos, natural de Juiz de Fora, inicia seu trabalho em sala de aula a partir do próximo semestre, que está previsto para começar no dia 2 de outubro. 
O professor irá ministrar a disciplina de Práticas Jornalísticas, Comunicação Comparada e Jornalismo Esportivo. Chico conta que escolheu cursar Comunicação Social devido ao jornalismo esportivo, área  pela qual sempre se interessou por causa do amor pelo esporte, principalmente, o futebol. O professor descreve que o jornalista esportivo como aquele craque que Deus não deu o dom no trato com a bola, dessa forma, busca estar naquele cotidiano de alguma forma. 
Chico acredita que, hoje em dia, o futebol deixou de ser visto como o “ópio do povo”, a fuga que a população tinha para esquecer dos seus problemas, tendo em vista que o esporte é uma das essências na formação da identidade brasileira. A modalidade esportiva é um drama social que interfere diretamente na vida das pessoas: se o seu time perde, no outro dia você não vai estar bem. Na visão do professor, é importante para a sociedade entender como essas construções do esporte influenciam diretamente a nossa vida. 
Chico se formou em Comunicação Social na Universidade Federal de Juiz de Fora no ano de 2005 e foi logo trabalhar na área de sua preferência. Assim que entrou para o mestrado, o mesmo se distanciou da área do esporte, pois partiu para a área política. Atualmente, Chico cursa Doutorado em Comunicação pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro, onde desenvolve a tese “Futebol, identidade e cultura: a construção de heróis e vilões nacionais das Copas do Mundo de 1950 e 2014 pela imprensa e a identificação com os brasileiros”. 
No período de graduação, Chico ganhou, ao lado de amigos, o prêmio de melhor vídeo no Festival de Cinema de Juiz de Fora com o vídeo “Macho Mass”. Para o professor, essa foi uma forma de testar e colocar em prática o que aprendia em sala. “A faculdade é um lugar para experimentar ao máximo, participar de tudo o que puder, pois, mesmo que não o faça profissionalmente, é uma forma de adquirir experiência e aprender”. Chico nunca esteve ligado a grupos estudantis, a não ser uma vez, quando contrapôs uma chapa e se candidatou ao grêmio. No episódio, venceu a disputa de representação, mas desistiu da candidatura logo em seguida, pois não era o que realmente queria. 
O professor já atuou em diferentes áreas ligadas ao jornalismo. Um de seus primeiros trabalhos foi o de repórter no portal ACESSA.com nas editorias de comportamento, cultura, política e geral. Chico foi também editor do MGTV 2° edição da TV Integração de Juiz de Fora, afiliada da Rede Globo. O destaque da carreira foi o cargo como editor do SportTV, canal esportivo da Globo na rede a cabo, onde novamente pôde ter contato com o esporte. 
Na área acadêmica, no ano de 2011, Chico foi professor de Pós-graduação em Jornalismo Esportivo na PUC-MG e ministrou diferentes disciplinas na Universidade Federal de Juiz de Fora. Agora, Chico inicia mais uma fase da sua vida de professor na Universidade Federal de São João del-Rei, tendo a oportunidade de estar ligado mais uma vez ao que lhe motivou ao jornalismo. 
Chico diz que irá trabalhar com a sala de aula do mesmo modo que trata uma editoria: vai ser um educador exigente, mas vai dar todo suporte para que os estudantes possam responder de forma coesa ao que ele pedir. O professor possui experiência desde o rádio à TV, sendo assim, acredita-se que fará um trabalho de qualidade. Chico acredita que irá encontrar talentos no jornalismo e promete ajudar ao máximo que puder. O professor está ansioso para começar a dar aulas e boas vindas aos seus novos alunos. 
VAN/Lucas Porfirio
Foto: Arquivo Pessoal 

Deixe uma resposta