Chuvas causam transtornos em Prados

Foram detectadas várias áreas de risco na cidade de Prados, de acordo com o secretário municipal de Obras e Abastecimento César Murilo da Trindade Velho, integrante da comissão de defesa civil municipal. Ele afirma que foram encaminhadas ao Executivo “todas as demandas sobre essas áreas afetadas”, mas a realização de obras de contenção depende da liberação de recursos do Governo Federal.

A comissão de defesa civil acompanha diariamente as zonas de risco do município, tendo sido já tomadas as providências junto à Defesa Civil Estadual e Federal, segundo relato do secretário municipal César Murilo. Dentre as áreas de risco identificadas, se encontra a rua Antônio Cardoso Vale que, há cerca de dois anos, foi parcialmente interditada devido a um desbarrancamento. Desde então, a área tem causado muitos acidentes, que se tornaram mais frequentes devido ao aumento do trânsito após o asfaltamento da estrada que liga a cidade a Dores de Campos.

Moradores do bairro reclamam do desmoronamento, que interfere na passagem de pedestres e veículos, além do aspecto descuidado do trecho, que é o principal de passagem da cidade e também de comércio de artesanato. A situação se estende já “por um bom tempo e nada foi feito”, como conta Gabriel Rufo, que reside na rua Pinheiro Chagas. De acordo com ele, na época das chuvas, o transtorno é ainda maior.

O chefe de gabinete Reginaldo Nascimento alega que a prefeitura não possui recursos para arcar integralmente com o custo das obras. Por esse motivo, foi feito um levantamento, enviado para o Ministério da Integração, que analisa e verifica os riscos e condições dos municípios e envia verbas para a recuperação dessas localidades. De acordo com o chefe de gabinete, a verba de mais de R$ 1 milhão “deve sair no começo do ano, mais especificamente no mês de janeiro, para a recuperação das áreas afetadas de Pinheiro Chagas, Alto Cruzeirinho e Banheira”, declara.

VAN/ Juliana Sousa
Foto: Juliana Sousa

Deixe uma resposta