Cidades do Campo das Vertentes cobram planejamento para a Copa do Mundo no Brasil

Comerciantes das cidades históricas mineiras, Tiradentes e São João del-Rei, reclamam da falta de apoio e investimentos para receberem os turistas na Copa de 2014.

      O artigo publicado no caderno Internacional do Jornal Zero Hora, do dia 20 de março, apresenta a proposta de investimento do BTG pactual em um dos estádios da Copa do Mundo de 2014, o Beira-Rio. O BTG Pactual é um subproduto da empresa suíça UBS e do bilionário brasileiro André Esteves e tem sobre seu domínio 150 bilhões em recursos administrativos. Com esse investimento no estádio, situado em Porto alegre, a cidade e os turistas, que visitarão o país durante a Copa, receberão benefícios. Enquanto isso, São João del-Rei e Tiradentes, cidades que fazem parte do circuito Estrada Real, ainda não receberam nenhum tipo de investimento, de infraestrutura ou turismo, e os comerciantes estão insatisfeitos.
      São João del-Rei, que em 2007 foi considerada capital brasileira da cultura, possui um acervo arquitetônico e patrimonial rico e vasto, porém faltam investimentos na infraestrutura da cidade e nos atrativos turísticos. Henrique Pereira, formado em Administração pela PUC-MG e diretor do pólo de faculdade à distância do grupo UNINTER-SJDR revela sua indignação com a situação de abandono da cidade: “Não há infraestrutura, faltam investimentos em transporte de qualidade, que é um dos principais problemas da cidade. Como um turista chega à cidade de ônibus? Horários ruins, poucas linhas, muitas paradas, veículos ruins.” O administrador afirma que tem investido na empresa, mais a cidade não ajuda em nada: “Uma das empresas do grupo é de idiomas, procuramos capacitar funcionários e alunos, mas e a prefeitura? O governo? Não fazem nenhum tipo de projeto, nenhum planejamento. Ouro Preto, importante cidade histórica, que também integra o circuito Estrada Real, disponibiliza suas melhores linhas para sempre acolher bem os turistas, falta é investimento mesmo”, acrescenta Pereira.
      A pequena e também histórica cidade de Tiradentes enfrenta problemas parecidos, é o que afirma Gabriel Lelis, gerente da Pousada Solar da Imperatriz, localizada no centro da cidade: “Tiradentes mantém uma estrutura padronizada, com ênfase no turismo, mas mesmo assim ainda temos alguns problemas, que precisam do apoio do governo e da prefeitura para serem solucionados”. O empresário fala sobre a importância de receber bem estes turistas, que virão do mundo todo. Afirma ainda que a cidade já se acostumou ao turismo internacional, sobrevivendo bem disso e que os investimentos por parte dos comerciantes estão sendo feitos: “Nós estamos ministrando aulas de línguas estrangeiras aos nossos funcionários, aumentando nossa área de lazer e espaço  físico, mas onde estão as campanhas de incentivo do governo? Só foram feitas propagandas, está tudo atrasado, mas nós estamos fazendo a nossa parte”, conclui Lelis.
      A situação em que se encontram as duas cidades não é diferente do processo que engloba as obras para a Copa do Mundo de 2014. Muita coisa ainda precisa ser resolvida e o que fica comprovado é a insatisfação dos comerciantes. Fator que se dá pela falta de apoio e estrutura em São João del-Rei e Tiradentes. Se as medidas necessárias não forem providenciadas, os benefícios que a Copa de 2014 promete não serão aproveitados por essas duas importantes cidades históricas de Minas Gerais.

      Reportagem: Sávio Augusto de souza.

Para copiar e reproduzir qualquer conteúdo da VAN, envie um e-mail para vanufsj@gmail.com, solicitando a reportagem desejada. É simples e gratuito.

Deixe uma resposta