20049359_1657281837635053_165549586_o

Coleta de lixo eletrônico mobiliza população

Conscientização e desenvolvimento sustentável andam lado a lado quando se trata de eficiência. Pensando nisso, Karen Alves, de 23 anos, junto a professora Roberta Alves decidiu concluir seu curso com o projeto para além do campus universitário. O trabalho, visando a logística reversa de gestão de resíduos, chamou atenção de quem passava pelo centro da cidade. A estudante destaca a importância da iniciativa tendo em vista a desinformação da população sobre lixo eletrônico. “Muitas pessoas não sabem o que fazer com esse lixo e acabam descartando em local indevido ou guardando até mesmo em suas casas”, conta a engenheira. Karen ressalta ainda a precariedade do serviço de reciclagem em São João del-Rei. Fala a respeito da vontade de dar continuidade ao projeto, desejando ainda mais adesão. “Muitas pessoas me perguntaram se estaria aqui sábado que vem porque não sabiam da iniciativa, mas gostariam muito de contribuir”, pontua. A iniciativa foi particular e não contou com o auxílio de patrocinadores, dificultando a divulgação por conta do orçamento limitado.

Almejando conscientizar, Karen acredita na sensibilização da prefeitura quanto à importância da coleta para, quem sabe, adotar a ideia assim como Oriclix (41). O engenheiro eletricista aderiu à ideia, comparecendo a coleta levando seus lixos eletrônicos. “Fiquei sabendo da coleta através do site da UFSJ, já que faço graduação em Ciências da Computação na Universidade”, conta o profissional. Parabeniza a iniciativa e ressalta o mal que lixos como esse podem fazer ao meio ambiente, caso sejam descartados em locais indevidos. “Materiais eletrônicos, principalmente as pilhas, demoram muito tempo para degradar e elementos químicos, como o Zinco e o Magnésio, acabam sendo absorvidos pelo solo e indo direto para os lençóis freáticos”, explica.

O Brasil é uns dos países que mais produz lixo eletrônico hoje. 1,4 milhão de tonelada por ano, totalizando 7kg por habitante. Em contrapartida, o país é o que mais descarta esse material na natureza. Além do impacto ambiental, existe também um impacto econômico, tendo em vista a possibilidade de reutilização deste material, economizando energia e recursos naturais. A empresa responsável pela arrecadação em São João del-Rei é a “Ferro velho e reciclagem”, que se encontra no Trevo Barroso.

A coleta da estudante acumulou um total de 1.710 de peso líquido, atendendo às expectativas da futura engenheira. O telefone para contato com o local de arrecadação é (32) 3351-3793/2347.
Texto/ VAN: Bárbara Morais e Victória Souza

Deixe uma resposta