28011140179_5bcf008865_k

Começa 21º Mostra de Cinema de Tiradentes

Com programação vasta, o evento conta com um público estimado de 35 mil pessoas e discute importantes questões relacionadas a representatividade, política e tolerância

 

Na última sexta, 19, teve início a 21º Mostra de Cinema de Tiradentes com programação que se estenderá até o dia 27 deste mês, totalmente gratuita ao público. Neste ano, em que a cidade celebra seu tricentenário aniversário,  o evento trata o tema “Chamado Realista”, trazendo como convidado homenageado o ator Babu Santana conhecido, principalmente, pela cinebiografia  Tim Maia, por ele protagonizada e estreada no ano de 2014.

A Banda Orquestra Ramalho de Tiradentes foi a responsável por recepcionar o público no primeiro dia de evento com apresentação no Sesc Cine-Lounge, onde ocorreu a transmissão simultânea da abertura oficial. Moradores e turistas também foram convidados a se dirigirem para a abertura por meio de um cortejo conduzido pelo Suaveciclo, performance que utiliza elementos audiovisuais para transformar a paisagem local,  partindo do Cine BNDES na Praça com destino ao Cine-Tenda.

O evento foi agraciado, ainda, pela pré estreia do longa metragem baiano “Café com Canela”, dos diretores Ary Rosa e Glenda Nicácio. Com personagem de Babu Santana, a mostra homenagem foi exibida no Cine-Tenda. O encerramento da noite foi por conta de Pedro Morais, representando a cena contemporânea e autoral de Minas Gerais através de performance audiovisual musical, no SESC Cine Lounge.

A coordenadora geral Raquel Hallak discorreu sobre a temática da 21º Mostra de Cinema de Tiradentes. “Estamos aqui hoje, abrindo uma temporada audiovisual norteada pelo chamado realista, apresentando produções brasileiras que mostram novas buscas por estéticas de contato com o real. Uma vida cotidiana.” A organizadora abordou, ainda, um pouco sobre quais provocações o evento trará ao público. “Este é um chamado para refletir a respeito da  intolerância religiosa, violência de gênero, preconceito étnico, aumento dos fluxos migratórios  e demais importantes questões que rondam as coletividades brasileiras, discutindo a criação de outros universos possíveis.”, afirmou.

O aposentado José Luiz participa da Mostra desde sua primeira edição, no ano de 1997 e contou um pouco sobre as razões que o fazem envolver-se em um dos festivais mais charmosos de Tiradentes.  “Muitos motivos nos trazem aqui. O primeiro é por ser um festival aberto, além de ser simpático, em que todos participam seja nas oficinas ou assistindo.  Segundo que conhecemos os novos artistas e diretores que estão surgindo. Um incentivo para o cinema contemporâneo.”, salientou.

O jornalista Alessandro Padin falou um pouco sobre as impressões de sua primeira participação na Mostra de Cinema. “Eu achei a programação muito bacana. O que acho mais legal é a possibilidade de assistir várias estreias. Já comentaram comigo que o festival vem mudando seu formato para privilegiar os artistas que estão começando, nem tanto os já consagrados, criando assim um espaço para o novo.”, destacou.

Durante os nove dias de mostra, serão exibidos 102 filmes brasileiros em pré estreias nacionais e mundiais, sendo eles 30 longas e 72 curtas metragens. Além dos debates a respeito das produções contemporâneas, o evento será abrilhantado por performances artísticas e oficinas, beneficiando um público estimado em 35 mil pessoas. A programação completa da 21º Mostra de Cinema de Tiradentes pode ser encontrada no site oficial do evento http://mostratiradentes.com.br/

 

Texto/VAN: Victória Souza, Yasmim Nascimento
Fotos/Universo Produção: Beto Staino

Deixe uma resposta