manga_mangueira_foto_felipe_messias-1

Cultura e Cidadania: um presente pra Barroso

Projeto firma parceria com Grupo Galpão no mês em que comemora um ano de atividades.

O projeto Cultura e Cidadania faz aniversário de um ano, mas quem ganha o presente é a cidade de Barroso. Depois de trabalhar por meses com oficinas de capacitação, peças teatrais, shows musicais e contação de histórias na cidade, as atividades ganharam um parceiro de peso este mês, o grupo Galpão. A programação vai do dia 2 até 11 de agosto e promete agitar a cidade de cerca de 19 mil habitantes com o melhor do teatro nacional.

Já no primeiro dia, 2, a Oficina Encontro com Grupo Galpão, com o ator Chico Pelúcio, vai revelar as regras do jogo cênico para despertar a criatividade dos participantes. Em seguida, público e elenco participarão de um bate-papo para trocar saberes artísticos.  A parte cinematográfica do projeto ficará por conta da exibição do documentário “Romeu & Julieta no Globe Theatre”, dia 3, no Teatro Municipal Professora Iracema Rocha.

Na semana seguinte, dia 09, na Praça Sant’Ana, centro de Barroso, o espetáculo infantil do Conexão Galpão “Manga Mangueira, Meu Pé de Brincadeira” chamará a atenção dos expectadores para a importância da preservação do meio ambiente e coleta de lixo às 15h. E nos dias 10 e 11 um programa de Ações Formativas em Teatro será coordenado pelo ator Reginaldo Santos.

O Cultura e Cidadania surgiu com a intenção de formar mão-de-obra local para atuar dentro e fora dos palcos. “Essa iniciativa vem sendo pensada e construída coletivamente com agentes culturais da cidade. O objetivo é de ser um projeto de Barroso e não somente em Barroso”, explicou a coordenadora do Cultura & Cidadania Laís Vitral. “Com a vinda do Galpão e outros artistas no decorrer do projeto, acreditamos que cumprimos nossa intenção de descentralizar a oferta cultural e promover o  intercâmbio dos artistas locais com os de fora”, concluiu.

A artesã Aparecida Mayrink participou da oficina CataCoisa, em junho, e aprovou a iniciativa. “Ficamos conhecendo pessoas que a gente nem imaginava que faziam arte com os ditos ‘lixos’, que são materiais recicláveis. Isso foi muito enriquecedor. Conhecemos os trabalhos dessas pessoas e pudemos agregar outras experiências para melhorar o nosso trabalho. Aprendemos muito umas com as outras”, destacou.

Veja horários e demais detalhes da programação de agosto no site do projeto.

Texto/Van: Daniela Mendes

Fotos divulgação do espetáculo “Manga Mangueira, Meu Pé de Brincadeira, Felipe Messias.

Deixe uma resposta