Desafios e soluções são debatidos na 2ª conferência municipal de cultura

No último sábado (10), a Prefeitura Municipal de São João del-Rei, através da Secretaria Municipal de Cultura, Turismo, Esporte e Lazer, realizou a 2ª Conferência Municipal de Cultura, que teve como tema “Uma política de Estado para a Cultura: Desafios no Sistema Nacional de Cultura”. Cerca de 150 pessoas inscreveram-se para participar do debate, que contou com a presença de representantes de mais de 18 segmentos artísticos. O evento teve por objetivo a participação dos cidadãos na construção do Plano Municipal de Cultura e a escolha de delegados para participarem da 3ª Conferência Estadual. 
A abertura do encontro foi realizada por autoridades são-joanenes. Estavam presentes o prefeito Helvécio Reis; Antônio Carlos de Jesus Fuzzato, presidente da Câmara Municipal; Eunice Pereira, vice-presidente do Conselho Municipal de Cultura da cidade; Pedro Leão, Secretário de Cultura; Telma Rezende, representante da UFSJ; Leonardo Silveira, Secretário Municipal de Governo e o artista são-joanense, Chico Lobo.   
Para Pedro Leão, Secretário de Cultura, Turismo, Esporte e Lazer, São João del-Rei possui uma potencialidade de equipamentos culturais, instituições e uma tradição cultural de 300 anos. “Ainda é preciso melhorar o acesso, ainda é preciso que a criança do Alto das Mêrces não tenha medo de entrar no Teatro Municipal’’, disse. Para o Secretário, a Conferência representa o primeiro passo para efetivação da democratização no acesso à cultura e na construção das políticas culturais.
A voz dos protagonistas:
A conferência abrangeu diversos públicos, desde crianças a idosos. Após a abertura os participantes dividiram-se em grupos, para debater e criar propostas que visassem à melhoria das condições dentro de cada eixo (Música, Artes Visuais, Teatro e Dança, Cultura Afro-Descendente, entre outros).
Ulisses Passareli, Superintendente de Cultura da Prefeitura Municipal, e também congadeiro, coordenou o debate do eixo Cultura Popular, que reuniu grupos folclóricos como os de Congados e Folias. Para ele, a Conferência representa o momento de colocar no papel a voz dos grupos, com suas demandas específicas.
Segundo Chico Lobo, cidadão são-joanense convidado à mesa, representando os artistas da cidade, diz que com a conferência ele tem certeza de que a cultura vai ser ouvida, porque em São João del-Rei o povo cresceu ouvindo que a cidade é um berço cultural. “Precisamos ser protagonistas disso, cada de um nós, vamos trabalhar todos juntos, não esperando que o poder público ou as instituições façam por nós, temos que fazer junto com o poder público e com as instituições para que tudo possa funcionar”, afirma.
O artista plástico Wanderlei Maryo Guilherme, conhecido por Wangui, confirma a importância do encontro: “É um momento de unir os segmentos envolvidos com arte, e valorizar nossa cultura”.
O encerramento da Conferência se deu com a apresentação e votação das propostas criadas nos grupos e a escolha dos delegados que participarão da Conferência Estadual e consequentemente da 3ª Conferência Nacional de Cultura, que será realizada em novembro, em Brasília. 

VAN/ Dani da Gama; Iolanda Pedrosa; Thaís Lacaz
Foto: Dani da Gama

Deixe uma resposta