Desmoronamentos causam transtornos em Barbacena

Situação continua alarmante. Secretaria Nacional do Tesouro concede crédito à Prefeitura

Moradores da rua Bahia, em Barbacena, vêm sofrendo com os constantes desmoronamentos no entorno do córrego que passa pelo local. “É um descaso”, afirma a moradora e dona de casa Neuza Feres (51). Segundo ela, a situação precária se arrasta ao longo dos anos e “a desculpa do antigo governo era que a obra não era deles, por isso a responsabilidade é da atual prefeitura”.

O problema teve origem quando o material utilizado na canalização cedeu, pois não suportou a pressão das águas, causando o desabamento das rampas à sua volta, ao longo de toda a galeria central. Sem a proteção nas laterais, a água se infiltrou debaixo das duas pistas e o asfalto rompeu.

O córrego da rua Bahia foi o resultado de um projeto elaborado no primeiro mandato de Toninho Andrada como prefeito de Barbacena, entre 1993 e 1996, junto à empresa CGP que, na época do Projeto Executivo, venceu uma licitação para a realização da canalização do córrego. O Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), e também o Banco Mundial financiaram a execução do projeto, que foi finalizado no ano de 1996.

Atualmente, um posto de gasolina situado no local está ameaçado de ser “engolido” pelo córrego, depois que uma placa de concreto da estrutura do canal do córrego ruiu. O terreno ficou enfraquecido e, com isso, há o risco de desabamento dos dois tanques de 15 mil litros de combustível da empresa.

O dono do posto de gasolina Fernando Cobucci revela um prejuízo de aproximadamente 40 mil reais, uma vez que o seu estabelecimento se encontra fechado há 4 anos. Segundo ele, o problema começou no ano de 2006 e, desde então, não houve nenhum esforço da prefeitura para recuperar o local. Fernando Cobucci ganhou uma ação contra o executivo pela perda de seu terreno, mas ainda não recebeu o dinheiro. Ele diz que em seu posto ainda há combustível guardado, correndo o risco de acontecer uma “calamidade para o meio ambiente”, já que o posto pode vir a ser arrastado pelo córrego. O empresário finaliza, afirmando que isso é resultado de uma obra mal feita, que pode terminar em uma tragédia, caso o problema não seja solucionado. “É uma decepção para todos do bairro. Lá é a saída da cidade, é uma situação de calamidade e nada é feito”, relata o empresário.

SNT autoriza operação de crédito para obras de recuperação

No início deste ano, a Secretaria Nacional do Tesouro (SNT), órgão do Ministério da Fazenda que controla as finanças dos municípios brasileiros, autorizou uma operação de crédito de R$ 5 milhões voltada para obras de recuperação do córrego da rua Bahia. A ação foi pretendida pela Prefeitura Municipal de Barbacena.R$ 2,5 milhões serão usados na recuperação e calçamento de vias públicas e os outros R$ 2,5 milhões, para a reconstrução da canalização do córrego.

A Prefeitura afirma que a licitação para a contratação do projeto do córrego da rua Bahia, assim como a sua execução, em 1996, aconteceram obedecendo todos os rigores da legislação. Contudo, ao longo do tempo, a obra sofreu desgastes naturais. Segundo Toninho Andrada, prefeito de Barbacena, o fato grave a ser registrado foi a omissão dos governos municipais durante todo este período: “Não promoveram sequer a manutenção rotineira do córrego, nem mesmo a sua limpeza”, afirma. “Os problemas atuais são decorrentes desta falta de manutenção e do total abandono do poder público em administrações anteriores”, completa Toninho.

Ainda de acordo com a Prefeitura, a licitação para a realização de obras de revitalização do canal da rua Bahia foi feita neste ano porque a gestão passada deixou a atual prefeitura inadimplente, e a recuperação do crédito do município consumiu vários meses de 2013. “Foi necessário providenciar o projeto para a obra e obter a aprovação da Secretaria Nacional do Tesouro para o financiamento, o que também levou algum tempo”, ressalta o prefeito.

Sobre um prazo para o término das obras no córrego, Toninho Andrada garante: “Estamos com a expectativa de que toda a obra de revitalização do córrego esteja concluída em seis meses, após o seu início. Mas dependerá de alguns fatores, sobretudo o climático pois, em períodos de chuvas, as obras ficam mais complexas, e consequentemente, mais lentas”, completa. Enquanto a perspectiva do prefeito não se realiza através da reconstrução do canal do córrego da rua Bahia, a população sofre com os transtornos gerados pelo problema. Os barbacenenses esperam, assim como o Executivo, o início das obras.

Texto: VAN/Mariane Motta e Vinícius Costa
Foto: Mariane Motta

Deixe uma resposta