Dia dos Namorados aquece vendas em diversos setores da economia local

O dia dos namorados é para os lojistas uma das datas mais lucrativas do ano, perdendo apenas para o dia das mães e o natal, segundo a Fecomércio MG. Mesmo com o aumento da inflação no país de 5,96%, segundo dados do Índice de preços ao consumidor medidos pela Fundação Getúlio Vargas, e redução dos incentivos fiscais do governo federal, os comerciantes não perderam o otimismo.

O buquê de rosas é o presente mais lembrado nesta data, o que é incentivado pelas floriculturas da cidade, que aproveitam para oferecer uma grande variedade de buquês e arranjos de flores, segundo Carem Marisa, dona de uma floricultura. 

Os namorados neste dia são mais exigentes e querem oferecer os melhores presentes para seus parceiros. “No dia dos namorados, eles gastam numa média de 45 reais, porque é o preço do buquê, que é o presente que mais sai no dia”, afirma.

Bombons e chocolates em geral são apontados pela Fecomércio MG como o quarto produto mais procurado nesta data do ano. Maria José, proprietária de uma loja de chocolates, teve um aumento de 40% nas vendas. “Tudo o que se produz é vendido. Na quarta e na quinta-feira fiquei até sem estoque, porque a gente foi produzindo e vendendo”, relata.

Brenda Resende namora há um ano e é a favor do “faça você mesmo”. No ano passado, gravou um CD e fez um caderno para presentear nesta data. Como este ano acabou ficando sem tempo para confeccionar algo, resolveu comprar o presente. “Trabalhei muito e não tive tempo. Acabei comprando uma mochila, porque era o que ele ‘precisava’. Acho que amor também é observar as necessidades do outro e ajudar”, ressalta.

VAN/ Marlon de Paula, Amanda Magalhães, Sarah Evelyn

Foto: Marlon de Paula

Deixe uma resposta