Mulheres Tatuadoras de São João del Rei, Tamires Giarola, Cinthya Munari, Tainá Ferreira e Camila Neves.

Encontro abre espaço para mulheres tatuadoras na região.

Quando o feriado cai na segunda-feira, o marasmo de domingo cede à euforia do sábado. E assim foi em Tiradentes, pelo menos para os amantes e profissionais da tatuagem. É que o Estúdio Kaya Tattoo realizou na véspera do Dia do Trabalho o Primeiro Encontro de Mulheres Tatuadoras de Tiradentes. Ao som do rock acústico de Rodrigo Nésio, o que se via era um entra e sai de gente à procura da melhor forma de marcar seu corpo, tirar dúvidas ou aprender novas técnicas.

enctatto1

A proprietária do Kaya Tatto, Suéllen Sottani, disse que quis com o encontro dar visibilidade para o trabalho feminino na tatuagem e mostrar novas técnicas de aplicação de piercing. “Não tem diferença no estilo de tatuagem feita por homem e mulher, só de clima do estúdio e oportunidade mesmo”, esclareceu. Mas a moradora de Tiradentes, Carina Marquez, vê diferença sim. Não se sentiu satisfeita com o trabalho masculino que experimentou em outra época. Feliz em conhecer tantas profissionais na região, estava convencida em dar preferência ao traço feminino. “Quando eu estiver pronta para a próxima e encontrar um desenho que seja meu, só meu, vai ter que ser de uma mulher”, afirmou.

Na região, a tatuagem feita por mulheres surge de forma tímida. A preocupação do evento foi apontar quem são estas pioneiras e superar os empecilhos encontrados, como o de formação e abertura de espaço num mercado ainda dominado por homens. “Eu acho importante o evento porque abre um leque que mostra que as mulheres são tão boas quanto os homens. Deveria ter mais, eu acredito. É engrandecedor trocar ideia com a galera gratuitamente, conhecimento novo, novas técnicas e até novas formas de fazer a mesma técnica”, avaliou satisfeita a tatuadora Camila Neves.

Por essa razão, foram convidadas de profissionais inexperientes à experientes, como Re Martelli, de Campinas, a primeira tatuadora mulher do Brasil, que deu uma entrevista especial para a VAN (você confere amanhã) e falou sobre o mercado nacional sob a perspectiva feminina.

“O clima não é de concurso, ninguém vai sair com um prêmio. A ideia é de compartilhar conhecimento e experiência”, confirmou Suéllen. Capa da revista Tattoo Brasil deste mês, formada pela única escola brasileira com selo do MEC, a Angels Tattoo, a organizadora fez também apresentação de técnicas de biossegurança, anatomia e fisiologia da pele, fundamentais ao conhecimento de um bom profissional.

Texto/VAN: Daniela Mendes e Sagner Alves

Suéllen Sottani
Suéllen Sottani

Deixe uma resposta