Entrevista: Paula Carribe e seu blog “Made in Brechó”

      Paula Carribe,
aluna do Curso de Comunicação Social – Jornalismo da UFSJ, tem atingido grande
repercussão online com seu blog Made in Brechó, criado há pouco mais de
duas semanas.  Em seu blog são postadas
várias combinações de roupas e acessórios que Paula encontra pelos brechós de
São João del-Rei.  Segundo Paula, a ideia
surgiu devido ao seu interesse pela moda e por significar “uma possibilidade de
criar um paralelo entre estar bem vestida com possibilidades mais acessíveis”.

         A blogueira conta as suas
inspirações para as composições, “Eu sigo alguns blogs de moda de alguns
famosos, busco referências no que elas usam e tento trazer para a minha
realidade. Porque eu não tenho condições de usar grandes marcas e talvez eu
encontre algumas coisas bem vintage nos brechós”. E completa sobre as
descobertas dos brechós: “Eu saio andando, eu sou daqui de São joão. Eu ando,
conheço algumas coisas, sempre vejo uma portinha aberta e já entro. Não faço
uma pesquisa antes, porque brechó vem de muito tempo que eu já gosto, eu já conheço
alguns ao longo da vida”.
       Paula conta ainda sobre
as experiências de suas visitas: “Sempre tem alguma coisa bem peculiar, porque
nem todo brechó é preparado, tem uma estrutura. Na verdade, eu falo no blog que
são meus achados. Porque brechó é difícil, nem tudo ali se usa, uma coisa ou
outra no meio de dez. Uma vez, inclusive fiz um post, eu estava olhando uma
bolsa – eu gosto muito de bolsa em brechó, é um acessório que dá para usar com
tudo, e é um acessório caro – eu olhei lá no Brechó do Carmo e encontrei dentro
vários documentos de uma moça, tinha umas fotos, e fiquei pensando na história
daquilo ali, esse é o mais interessante. Sem contar que a gente encontra muita
coisa nada a ver, tem que ter paciência para conseguir algum achado”.
       Sobre as ideias de seu
blog e a sustentabilidade Paula explica que “a ideia do meu blog é essa: a
contramão da moda, mostrar que é possível não seguir uma tendência. Que
sustentável não é só fechar uma torneira. Se pensar bem, se você for lá e
comprar uma bolsa de couro, que não seja sintético, é o meio ambiente, está
matando uma cobra, um jacaré, um animal. Eu acredito nessa possibilidade de
renovação, de renovar seu vestuário com a ideia de algo que já esteja no
mercado, que não necessite de um novo”.
         Em uma sociedade
capitalista, há ainda muitos blogs de moda que incentivam o consumo
desenfreado, sobre o assunto Paula avalia “Eu acho que eles são produtos dessa
necessidade do mercado, dessa indústria cultural, a necessidade do consumo. Eu
acho que são influenciados por essas novidades mercadológicas que, se você não
tiver, está fora. Eu acho que elas [blogueiras] gostam de estar bem-vestidas e
podem pagar por isso ou são patrocinadas, seria errado dizer que é errado,
porque, quem não gostaria de um patrocínio? Talvez apenas acredite que essa
necessidade de consumo o tempo todo não seja muito interessante, dentro de uma
outra proposta da moda de você estar à vontade com você mesmo”.
          Sobre o retorno do
público, para Paula “está sendo muito interessante para mim, porque eu acho que
o brechó continua sendo um tabu, as pessoas ficam com medo de entrar em brechó
por existir um paradigma de que é coisa de pobre. Estão enganadas, porque
talvez você entre e encontre lá coisas de marca, que você não teria condição de
comprar, e esse retorno do blog tem sido muito interessante. Eu estou há pouco
tempo com o blog, está bombando, não tenho uma ideia, não fiz uma pesquisa para
saber. Mas tem duas semanas e já tem doze meninas que todos os dias elas me perguntam
como que estão os brechós da vida. Não apenas para mim, mas pude trazer uma
possibilidade de estar bem-vestida para todo mundo. Avalio de forma positiva,
que a gente pode estar bem-vestida e contente”.

           Reportagem: Bruna de Faria.

Para copiar e reproduzir qualquer conteúdo da VAN, envie um e-mail para vanufsj@gmail.com, solicitando a reportagem desejada. É simples e gratuito.

Deixe uma resposta