2

Evaldo Balbino e Alair Coêlho lançam livros em Resende Costa

 

Evaldo autografando livro

A Associação dos Amigos da Cultura de Resende Costa (Amirco) aproveitou a comemoração dos 101 anos do município e a primeira Mostra de Artesanato e Cultura para lançar livros de dois resende-costenses. Nos dias 31 de maio e 1º de junho, respectivamente, Evaldo Balbino e Alair Coêlho apresentaram suas obras no Teatro Municipal de Resende Costa.

O quarto livro de Evaldo Balbino, “Amores oblíquos”, foi vencedor do Prêmio Nacional Braskem/Academia de Letras da Bahia – Conto 2012. O autor e professor da UFMG lançou-o pela primeira vez após a premiação em Resende Costa, sua terra natal, com o apoio da Amirco.

Conforme a diretora de comunicação da Amirco, Elaine Martins, a obra concorreu com outros 76 originais, de treze estados brasileiros. Evaldo comentou sobre a premiação: “Não é porque outros não ganharam o prêmio que não são tão bons. Julgar arte é muito difícil. O povo baiano me recebeu muito bem, assim como a Academia de Letras da Bahia. O presidente da Academia comentou, inclusive, que sou o primeiro mineiro a ganhar esse prêmio, que existe desde 1983”.

O autor já lançou outras publicações, como poemas e crônicas, mas essa é a primeira composta por contos. A obra possui 12 contos e, no entanto, Evaldo Balbino afirma que “não há nenhum conto com o nome de ‘Amores oblíquos’, mas todos falam de amor e todos os amores retratados são oblíquos”. O livro foi lançado pela renomada editora 7Letras, no Rio de Janeiro.

 

Alair no centro

Entretanto, a participação da Amirco foi além na primeira Mostra de Artesanato. No dia 1º de junho, o historiador Rosalvo Pinto ministrou uma palestra a respeito dos inconfidentes José de Resende Costa, pai e filho, também no Teatro Municipal. Em seguida, o resende-costense Alair Coêlho lançou o romance “O embuçado”, que trata da Inconfidência Mineira.

O autor empreendeu pesquisas a respeito do movimento e percorreu a Estrada Real em busca de informações. Depois de escrever bastante e reunir alguns documentos,  decidiu que escreveria um romance. Esta foi a quinta publicação da Coleção Lageana.

Alair Coêlho participou do Grupo Teatral Agenor Gomes, na era de ouro do Teatro Municipal de Resende Costa, e trouxe um pouco disso para a obra. “O embuçado” combina maçonaria, história, amor e mistério. “O livro tem muito de teatralidade. Não fugi de minhas origens. Quem ler, perceberá que toda a história tem como centro a laje”, concluiu Alair.

VAN/Emanuelle Ribeiro
Foto: Emanuelle Ribeiro e Fernando Chaves

Deixe uma resposta