Exposição brinca de recordar

A exposição promete uma verdadeira viagem no tempo por meio de brinquedos

Os brinquedos já estão sendo organizados para a exposição. FOTO/VAN: Scarlet Freitas
Os brinquedos já estão sendo organizados para a exposição. FOTO/VAN: Scarlet Freitas

Amanhã (11) ocorre a inauguração da exposição “Memórias da Infância” no Museu Regional de São João del-Rei. A instalação é uma parceira entre a Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ) com o museu regional, juntamente com a Secretaria Municipal de Educação e a Brinquedoteca da UFSJ.

Com abertura marcada para às 20h, um pouco antes às 19:15, haverá também um recital de órgão de tubos, com Elisa Freixo. Christianni Cardoso de Moraes, professora do departamento de educação da UFSJ, explica que a ideia da exposição surgiu da prática realizada como professora de história da educação 1 e 2 do curso de Pedagogia, em que foram trabalhadas oficinas com os estudantes. A partir daí foi elaborada uma pesquisa e um projeto de extensão .

Os materiais materiais expostos foram criados por professores e alunos da rede municipal de educação. 17 escolas pertencentes ao município, incluindo algumas da zona rural, e cerca de 30 professores, participaram de  várias oficinas sobre educação patrimonial no museu.

A exposição ficará disponível até dia 20 de novembro para visitação. Grupos podem entrar em contato com a área educativa do museu regional para realizar uma visita mediada em que é realizado um jogo.

 

A brinquedoteca UFSJ

Parte dos objetos expostos serão pipas pertencentes a uma coleção da brinquedoteca UFSJ. Criada em 2003, o local  funciona como um laboratório para a criação e exploração de brinquedos, jogos e estratégias formativas realizados pelos alunos da instituição.

A estudante de psicologia Beatriz Fonseca Castro, participou da brinquedoteca durante um ano e possuía a função de buscar interação com as crianças e incentivá-las a participar de novas brincadeiras como dama e quebra cabeça, jogos que fazem com que as crianças pensem sobre suas ações. Beatriz sempre teve interesse em trabalhar com crianças, ela relata que essa foi minha maior motivação para escolher curso de psicologia e também o que a fez se interessar pelo projeto.

 

A participação das escolas municipais

As 17 escolas que participaram da montagem da exposição são a Escola Municipal Maria Teresa, Escola Municipal Bom Pastor, Escola Municipal Pio XII, Escola Municipal Parada do Giarola, Escola Municipal de Emboabas e Escola Municipal de Goiabeiras.

Elizandra Kelem do Carmo atua como professora coordenadora do programa Mais Educação na Escola Municipal Maria Teresa. Ela fala sobre como a exposição cria um resgate da época em que as crianças se divertiram com brinquedos que elas mesmas construíram, elisandra também comenta sobre a iniciativa: “Eu achei uma iniciativa primeiramente prazerosa. Por que quando se fala em brincar, a gente pensa em brincar como algo que nos dá prazer. Somos adultos agora, então a gente trata isso como uma memória, como uma lembrança e ela é prazerosa por recordar e foi prazerosa quando éramos crianças e a gente podia brincar com esses brinquedos que nos forneceram as memórias.”

Para a coordenadora, a participação das escolas foi uma experiência extremamente gratificante principalmente para as crianças, que reviram a importância dos brinquedos que vão cada vez mais caindo no esquecimento.

 

TEXTO/VAN: Scarlet Freitas e Jéssica Corrêa

Deixe uma resposta