O doce tradicional é a marca registrada da cidade - Foto - Ana Carolina Gomes

Festa do Rocambole adoça o mês de setembro em Lagoa Dourada

A culinária da cidade surpreende mais uma vez com os sabores inigualáveis do doce típico

Banner divulgação/Festa do Rocambole de Lagoa Dourada 2016
Banner divulgação/VI Festa do Rocambole e Mostra Cultural de Lagoa Dourada 2016

Lagoa Dourada é conhecida na região como a “cidade do rocambole”. A quitanda, preparada, basicamente, com farinha, ovos e açúcar, e recheada com os mais diversos sabores é tradicional na cidade. Com isso, o município realiza anualmente a Festa do Rocambole e Mostra Cultural. Este ano o evento acontece dia 18 de setembro. Assim, a partir das 10h da manhã, a Praça Irmã Gabriela, no Centro, traz degustação, vendas, e exposição do doce aos amantes da gastronomia local.
Segundo a diretora do Departamento Municipal de Cultura, Esporte, Lazer e Turismo, Climene Resende, o evento terá dois grandes produtores participantes, O Legítimo Rocambole e o Rocambole Lagoa Dourada, que são os mais antigos e tradicionais da cidade. Serão oferecidos 200 rocamboles para degustação gratuita. E para serem vendidos, os sabores variam, desde o doce de leite, o mais procurado, até os de frutas.
A diretora conta que a festa tem crescido bastante, com grande aceitação da população e dos visitantes. “O objetivo do evento é a divulgação e o crescimento do turismo gastronômico e cultural, com geração de renda e empregos”, ressalta. Ainda, “a Prefeitura Municipal dá apoio total para a realização, mas pretendemos buscar novas parcerias”.
A nutricionista, Alessandra Lommez, participa com frequência da festividade por acreditar no potencial da produção do alimento. “Espero que, mais uma vez, Lagoa receba muitos visitantes, e que eles divulguem ainda mais esse produto que identifica nossa cidade”.
A operadora de caixa, Bruna Braga, conta que é a primeira vez que vai ao festival, e que está com grandes expectativas. “Sempre quando viajo e passo por Lagoa, eu compro um rocambole. É o melhor que já comi!”, afirma. Além da data, Bruna costuma frequentar a cidade em outras festas, como a Exposição Agropecuária e o Festival Sertanejo.
Como é uma Mostra Cultural, o festival terá exposição de artesanato, móveis em madeira de demolição, cachaça artesanal local e oficinas em cerâmica. Shows regionais e peças de teatro também animarão o dia 18.

O doce tradicional é a marca registrada da cidade - Foto - Ana Carolina Gomes
O doce tradicional é a marca registrada da cidade – Foto – Ana Carolina Gomes

Um alimento que é identidade local

Lagoa Dourada tem o rocambole artesanal como “marca registrada” assim como outras cidades têm alimentos com características marcantes, o caso dos biscoitos de São Tiago, por exemplo.
Alessandra explica que, atualmente, até o ramo alimentício tem se modernizado e se tornado cada vez mais industrial. Esse fator acaba por distanciar o alimento das pessoas, por isso, o rocambole, produzido em pequena escala e de forma artesanal, tende a se aproximar do consumidor, criando um laço mais afetivo. “É possível reconhecer os ingredientes que o compõem, perceber que não são utilizados conservantes artificiais e que a melhor forma de degustá-los ainda é vir a uma das lanchonetes do município”, diz.

Valor nutricional

Entretanto, fica a dúvida sobre os valores nutricionais do quitute. Como a nutricionista explica, “evitar comer frituras e doces, assim como itens industrializados, é algo que só traz benefícios à saúde, já que esses itens não ajudam em nada o organismo”.
Mas, como Alessandra mesmo reforça, “ninguém precisa viver infeliz e dá para ter uma vida e uma alimentação saudável, comendo um docinho vez ou outra”. Assim, o Rocambole pode ser consumido, em momentos de celebração, em aniversários, desde que haja um controle. “Sem exageros é a dica para qualquer grupo alimentar”, completa.

TEXTO/VAN: Emanuel Reis
FOTOS: Ana Carolina Gomes

Deixe uma resposta