(Graziela Silva) FESTIN

FESTIN leva crianças e adultos ao Teatro Municipal de SJDR

Em comemoração ao dia das crianças, Festival de Teatro Infantil levou 32 apresentações, com brincadeiras, risadas e surpresas ao público infantil

(Graziela Silva) FESTIN
Durante apresentações no final de semana, as peças prenderam atenção não só de crianças, como também dos adultos

Risos, brincadeiras e interação com o público tomaram conta do Teatro Municipal de São João del-Rei na última semana. Isso porque, entre os dias 5 e 12 de Outubro, aconteceu a segunda edição do Festival de Teatro Infantil, FESTIN, em comemoração à semana da criança. Ao total, 32 peças gratuitas passaram pelo palco do teatro da cidade trazidas pelo projeto da empresa Inovità Imagem e Produção, que teve o apoio do Banco Itaú e da Prefeitura municipal.

O FESTIN nasceu em 2013 a partir da ideia vinda do diretor do Teatro Municipal, da prefeitura junto com a Inovità, de desenvolver uma atividade no teatro para o público infantil durante o mês das crianças. Na primeira edição, menor que a deste ano, algumas apresentações foram financiadas pela prefeitura e outras ocorreram em preço popular. A empresa também increveu o projeto na Lei Federal de Incentivo à Cultura, o qual foi aprovado e só não aconteceu em 2014 porque era ano eleitoral, e desta forma, não foi possível captar recursos financeiros.    

info-grazi-teatro
Arte: Laila Zin

Nessa segunda edição,  32 peças foram feitas pelas companhias teatrais O que conta o Sabiá, Escambo Artes Integradas, Clara Trupi de Ovos y Assovios, INpróprios, Cia Arte-Móvel, Cia Teatral ManiCômicos/Teatro da Pedra e Cia Uma das Três de Teatro. Dessas, apenas sete eram abertas ao público, durante o final de semana e o feriado, e o restante eram exclusivas para as escolas particulares e públicas da região. Thaiany Cantelmo, mãe de Lara Pereira de 9 anos, enfatiza que, o fato de terem sido gratuitas atraiu mais ainda as pessoas para prestigiarem o festival. Além da gratuidade, a existência das companhias teatrais vindas de fora, a reestilização do personagem Tinzinho e o gibi para colorir sobre o mundo do teatro distribuído ao final das apresentações foram as novidades da segunda edição do Festival.

Adriano Resende Margotti, diretor geral do FESTIN, diz que a Inovità é uma promotora cultural e acredita que “o projeto é uma valorização da arte teatral. Assim, o evento, através da criança, faz o estímulo de toda a cadeia, atraindo mais público ao teatro, promovendo o desenvolvimento não somente delas, mas também dos artistas, da cultura e das pessoas de um modo geral”. Ele ainda destaca o fato do privilégio de, em SJDR, ter um Teatro Municipal vigoroso e da necessidade de o fortalecer ainda mais, assim, “colocando o teatro na vida das pessoas”.

O intuito do FESTIN, além do aprendizado infantil através da manifestação artística, é despertar, novamente, às famílias para a ida ao teatro, e a criança seria o caminho para essa realização. Mães, pais, avós, avôs e professores prestigiaram o evento junto com os pequenos. Thaiany Cantelmo ainda contou que tem o costume de frequentar o teatro da cidade, e soube desse evento através da televisão e do cartaz de divulgação e decidiu trazer sua filha porque “além de diversificar as atividades, tirando a criança do computador, as peças sempre vêm com uma mensagem”. A filha de Thaiany, Lara Pereira, concordou com a mãe ao afirmar que “é bom aproveitar quando é criança, já que não sabemos o que vem pela frente. (…) Gosto de vir ao teatro, também, porque ajuda na vida por causa das mensagens”.

“Tem doce”  encerrou as apresentações do FESTIN em 2015

 Espetáculo “Tem doce” da Cia Uma das Três de Teatro, com elenco composto por Gabriela Mendes e Carla Marco (na foto), fechou as apresentações do festival trabalhando com a temática do amor entre irmãos
Espetáculo “Tem doce” da Cia Uma das Três de Teatro, com elenco composto por Gabriela Mendes e Carla Marco (na foto), fechou as apresentações do festival trabalhando com a temática do amor entre irmãos

O espetáculo “Tem doce”, da Cia Uma das Três de Teatro, escrito por Bruna Izar e dirigido por Keroly Gritti foi o último a passar pelo palco do Teatro Municipal durante o Festival. Encenado pelas artistas Gabriela Mendes e Carla Marco, a peça, produzida em junho desse ano, narrou a história de dois irmãos,  Nyara e Aiô, numa aventura para encontrar o mar. Porém, Aiô se desencontra de sua irmã e Nyara sai a sua procura, descobrindo nesse caminho valores como amizade, companhia e conselho. A história é inspirada na lenda dos gêmeos Cosme e Damião.

A peça traz em si, como temática principal, o amor entre os irmãos, que necessita ser resgatado e a morte. Gabriela Mendes, participante do elenco de “Tem doce”, afirma ser mais delicado trabalhar com crianças, “pois com adulto não é preciso dar rodeios para dizer alguma coisa, a gente diz e ele sai com o pensamento formado. Já com a criança, é preciso dizer de forma mais fantasiosa”.

A apresentação vinda de São Paulo procurou em São João del-Rei uma nova experiência para “encontrar públicos diversos, fortalecer o espetáculo e a companhia e dialogar com crianças de outras realidades”, como diz Carla Marco, também integrante do elenco.

A criança se sente parte da história, já que a peça, em alguns momentos, se passa no meio da plateia numa interação direta. Aqueles que assistiram o espetáculo no dia 12, aliás de se envolverem durante as cenas, também foram surpreendidos com doces embaixo das cadeiras ao fim da história, o que animou muito a criançada.

TEXTO/VAN: GRAZIELA SILVA

FOTOS: GRAZIELA SILVA

Deixe uma resposta