WhatsApp Image 2017-09-26 at 18.07.09

Fiéis buscam libertações na festa de N.S das Mercês

A procissão de  encerramento da novena abrilhantou as ruas da cidade, com belos andores e grande participação dos fiéis

 

Fundado a partir de um dos títulos da Virgem Maria, a ordem de Nossa Senhora das Mercês surgiu em 1218 por meio de um sonho da Virgem destinado a São Pedro Nolasco, São Raimundo e Rei Dom Jaime I. Comemorado no dia 24 de setembro, a N.s é conhecida pela missão de libertar os cristãos escravizados. A missa e a procissão em sua homenagem encheu a Igreja das Mercês de São João del-Rei e movimentou as ruas na noite deste domingo (24).

Roberto de Jesus Valineto, irmão da confraria de Nossa Senhora das Mercês e responsável por carregar o andor, conta da responsabilidade de levar a imagem como forma de evangelização ao decorrer da procissão. A caminhada dos fiéis contou com três andores que, além de carregar a imagem da Nossa Senhora das Mercês ao lado das irmandades, trouxe a figura de São Raimundo e São Pedro. “Além de trazer as imagens, fazemos com que os irmãos se aprofundem um pouco mais na fé”, explica Roberto ao ser questionado sobre o peso do andor. Normalmente, os carregadores são irmãos da confraria e são caracterizados com a roupa da irmandade.

WhatsApp Image 2017-09-26 at 18.07.32
Queima de fogos celebra festa N.S. das Mercês. – Foto/VAN: Bárbara Morais

Ademais, a missa contou com uma novena que abraçou irmãos e leigos pela libertação em suas  vidas. Durante a homilia, o Padre abordou as desigualdades sociais, enfatizando a necessidade de ajudar os pobres. Nesse viés, a fiel Leilianee Silva destaca a importância dessa entidade para os cativos e todos aqueles que se sentem escravos de alguma coisa neste mundo. “Hoje em dia somos presos a várias coisas, principalmente ao dinheiro”, enfatiza a comerciante. Durante a novena, Leilianee afirma presenciar várias graças alcançadas por seguidores de Nossa Senhora das Mercês. “A gente vê várias pessoas contando que, geralmente, quando fazem algum pedido a Ela recebe uma flor inesperada de alguém”, relata a fiel sobre situações nas quais a graça foi alcançada. Todos os anos a entrevistada fica responsável pelos anjinhos, crianças que acompanham a procissão.

A festa contou ainda com queima de fogos, duas bandas e barraquinhas com quitutes voltados para a arrecadação de dinheiro destinado à ordem. O dia 24 de setembro foi, mais uma vez de suma importância para fiéis e seguidores da Nossa Senhora das Mercês.

 

Texto/VAN: Barbara Morais e Victoria Souza
Foto/VAN: Barbara Morais

Deixe uma resposta