Filmes geram discussões sobre diversidade sexual

O projeto de extensão Cineclube Homoerótico, idealizado e coordenado pelo professor Carlos Frederico Bustamante, ganha vida no Centro Cultural da Universidade Federal de São João del – Rei (UFSJ). Propondo a discussão sobre a homossexualidade através de filmes que retratam relações homoafetivas, o projeto procura a aceitação da homossexualidade e o fim do preconceito.
Durante o projeto, as temáticas foram dividas em módulos – aceitação social; repressão social; a revolução de costumes; a militância; a teatralidade e o documentário – para melhor orientação quanto à discussão gerada pelos filmes. Ao fim de cada apresentação, o professor Carlos Bustamante abre uma roda de discussão sobre a temática do filme.
O estudante João Vitor Santana, mestrando em Psicologia, compareceu às três exibições que ocorreram e afirma que o projeto surgiu em um momento importante de discussões sobre homossexualidade no cenário político/social. “Trazendo o cinema como ferramenta movimentadora dos temas, a homoafetividade pode ser desvelada e discutida. O que se percebe nos filmes exibidos no Cineclube é que tratam do tema em diversos momentos históricos. Esse espaço onde os participantes se posicionam confere ao projeto um aspecto de extrema importância: a criação de um discurso em que o preconceito e a homofobia possam ser combatidos”, explica.
Frederico Bustamante, idealizador do projeto, fala sobre a importância da discussão sobre a homossexualidade através de filmes. “A ideia de realização deste trabalho extensionista, a partir da criação de um cineclube homoerótico, é promover o debate e a consequente conscientização de importantes questões acerca da homossexualidade entre os participantes, tendo como mote a linguagem cinematográfica enquanto norteadora das discussões e temas pretendidos. O objetivo é abordar de forma estética e reflexiva, pelo viés do cinema, as dificuldades pessoais e os enfrentamentos relacionais e sociais nascidos da experiência homossexual masculina e feminina em sociedades heterocentradas desde o final do século XIX até os dias de hoje”.
Segundo ele, “o foco é a vivência individual através dos filmes, o compartilhamento das percepções sobre os mesmos por meio do debate e a elaboração das sensações acerca das questões vividas, em geral de forma solitária, pelos gays e lésbicas em nossa cultura. Romper o silêncio, o isolamento e a alienação, conduzindo o(a) participante a um maior amadurecimento pessoal e social, por meio da aceitação presente no olhar conjunto e acolhedor do grupo, em relação aos temas tratados.”
 Qualquer pessoa pode participar do Cineclube, a entrada é gratuita. As exibições acontecem todos os sábados às 16 horas, no Centro Cultural da UFSJ (Solar da Baronesa). Excepcionalmente no dia 7 de setembro não acontecerá a exibição, devido ao feriado.  No dia 14 de setembro, será exibido Saindo da Armário (1998), um adolescente se apaixona pelo atleta mais famoso da escola. Aos 16 anos, o jovem passa por problemas de aceitação e dificuldades em entender sua sexualidade.
 Durante as férias da universidade, o projeto entrará em recesso, retomando suas atividades no início de outubro. Para maiores informações, acesse a fanpage do projeto de extensão Cineclube Homoerótico (https://www.facebook.com/cineclube.UFSJ) e acompanhe todas as novidades sobre o projeto.
VAN/Paulo Carvalho
Foto:Reprodução

Deixe uma resposta