DSC_0072

GEAPIS realiza seu V Seminário Apícola na UFSJ

Evento reuniu produtores de mel de diversas regiões

 

Tomando como palco o Anfiteatro do Campus Tancredo Neves da UFSJ, o Grupo de Estudo em Apicultura e Meliponicultura (GEAPIS), em parceria com a Associação de Apicultores de São João del Rei ( Apis del Rei) realiza o V Seminário Apícola de São João del-Rei e Região. O evento reuniu mais de 200 pessoas, entre estudantes, produtores e professores. O objetivo do seminário é, a cada edição, reunir informações, integrar conhecimentos, estimular a discussão e propagar ideias para toda a região sobre a relevância da atividade apícola através palestras e minicursos. O seminário também ofereceu lanches e almoço para os cadastrados.

Durante a manhã, após o credenciamento e a solenidade de abertura, houve as palestras “Perspectivas e estratégias para a Apicultura Brasileira”, ministrada pelo presidente da FEMAP Sérgio Ramos Jr. e “Enzimas das abelhas como biomarcadores em avaliação da contaminação ambiental”, ministrada pelo professor e apicultor Stephan M. Carvalho. Em seguida foi aberta a mesa redonda “Empreendedorismo na Apicultura”, onde o principal assunto discutido foi o papel do empreendedor na organização da cadeia de produção do mel e do própolis.

Após o almoço, tiveram início os minicursos, que duraram até o fim da tarde, quando o último lanche foi oferecido. O Seminário se encerrou com a última palestra “Fisiologia da Reprodução em Abelhas sem Ferrão”, ministrada por (…), o debate sobre o ensino da apicultura nas universidades e a entrega de certificados.

O professor de apicultura, meliponicultura e extensão rural e coordenador do Seminário, Deodoro Magno Brighenti, considera muito importante a integração entre os centros acadêmicos e os produtores de mel. Ele conta que essa aproximação permite a troca de conhecimentos entre o produtor e o acadêmico e que isso permite expôr problemas e discutir soluções. Ele também considera o evento benéfico para os alunos do curso de zootecnia, uma vez que os faz vivenciar a prática da realidade da apicultura: “Esse evento permite os alunos a estarem junto com o contexto, conhecer as realidades opostas, sentir realmente o que eles recebem de ensino, e poder colocar isso em prática via extensão.”

Stephan conta que o seminário foi muito positivo pela participação não só dos estudantes, mas dos apicultores também. Para ele, a atividade empreendedora precisa ser estimulada em ambos os lados: “Nós temos que incentivar os apicultores, mas principalmente estimular a academia. Nós temos que puxar esse lado do empreendedorismo. É uma atividade, uma profissão digna, que tem retorno financeiro, a pessoa pode se estabelecer. Vale a pena.”

O apicultor Geovano Dorneles da Silva, que produz mel e própolis, conta que é a primeira vez que comparece ao seminário, e que considerou o evento proveitoso e interessante: “Aqui é onde a gente encontra uma troca de ideias. A gente vai trocando ideias e vai aprendendo. E tudo que a gente aprende é útil.” Ele parabenizou os envolvidos, elogiando os temas abordados e a organização.

 

Texto/VAN: Clara Mattoso
Foto/VAN: Clara Mattoso

Deixe uma resposta