Guy Veloso e seu primeiro livro. FOTO/VAN: Beatriz Estima e Clara Mattoso

Guy Veloso lança seu primeiro livro no Foto em Pauta

Obra retrata religiosidade diversificada no Brasil

O projeto Foto em Pauta é um evento anual que ocorre na pequena cidade mineira de Tiradentes no primeiro semestre do ano, entre o carnaval e a Semana Santa. O projeto ganhou vida em Belo Horizonte no ano de 2004, com o objetivo de trazer para a capital mineira maior contato entre fotógrafos, artistas e o seu público. Com o sucesso do evento, foi criada em Tiradentes o Festival de Fotografia, que atualmente está em sua sétima edição. Durante duas horas, há projeção de fotos comentadas por artistas, seguida de um debate aberto ao público, além de exposições em galerias e venda das obras  – Compilações de fotos de grandes fotógrafos.

Guy Veloso e seu primeiro livro. FOTO/VAN: Beatriz Estima e Clara Mattoso
Guy Veloso e seu primeiro livro. FOTO/VAN: Beatriz Estima e Clara Mattoso

Nesta 7° edição, Guy Veloso, fotógrafo paraense apresenta seu primeiro livro solo feito pela Coleção Ipsis de Fotografia Brasileira, sob curadoria de Eder Chiodetto. Guy conta sobre suas experiências ao retratar um tema tão peculiar e simbolista: os Penitentes – religiosos das diversas crenças brasileiras.
Um homem risonho, que possui um lado espiritual forte, construído através dos 16 anos de pesquisa no sertão nordestino. Suas fotos representam uma ligação profunda entre os rituais religiosos e o próprio olhar misterioso do fotógrafo.

Guy fala que o lançamento de seu livro é apenas um começo, um início de tudo o que ainda pode realizar. “Eu não sinto um dever cumprido, sinto que quero mais. Tenho necessidade de pensar mais, pesquisar mais dessa religiosidade brasileira”, revela.

Guy Veloso possui muito mais que uma visão artística das suas obras, elas têm um poder político. Ele tem a intenção de, além de provocar algum sentimento nas pessoas, poder mostrar o quanto é inútil a intolerância religiosa. “Eu quero ao menos despertar novos conceitos nas pessoas. em especial ao grande problema que há no país que é a intolerância religiosa.”, comenta.

Debate aberto com Guy Veloso
Debate aberto com Guy Veloso – FOTO/VAN: Beatriz Estima e Clara Mattoso

O trabalho do fotógrafo inspira muitos artistas que estão no começo de sua carreira, como Viviane Giaquinta, uma artista carioca que conheceu o Guy através de seu trabalho no Museu de Arte Contemporânea do Rio de Janeiro. Viviane conta que o que mais chama sua  atenção nas obras do fotógrafo é a sensibilidade com que ele retrata as crenças brasileiras; um olhar que poucos possuem. “Ele sabe expressar os sentimentos através da imagem, e acho isso incrível.”, comenta a artista.

O Teatro Casa de Bonecos foi o palco dessa conversa entre Guy Veloso e o público. Um local pequeno e aconchegante que reuniu pessoas de diversos lugares do Brasil, bem como de diversas religiões. O bate papo seguiu com apresentações de alguns trabalhos do Guy que estão presentes no seu livro, aliado com a misticidade das interpretações de tais imagens.

A Casa é pela terceira vez um dos ambientes onde  ocorre o Foto em Pauta. Nado Rohrmann, proprietário do lugar e parceiro do festival comenta que essa edição foi muito especial pela participação de Guy Veloso. A emoção do lançamento do livro nesse local, faz com que tudo se torne ainda mais fantástico. “Foi bem emocionante, pela pessoa do Guy, por meio da palestra, por ele contar parte da vida dele, a dedicação, a devoção com o trabalho.”, comenta Nado. O dono da Casa de Bonecos ainda afirma a contribuição que os trabalhos do Guy Veloso oferece para a cultura brasileira, e principalmente por estar no Festival de Tiradentes, trazer reconhecimento para a cidade.

Guy Veloso é um grande apreciador do festival, tendo uma presença marcante em todas as edições. “O que eu gosto daqui é que é um grande encontro de amigos”, retrata Guy. O fotógrafo ainda acrescenta o que sente, especificamente nesta 7° edição: “É incrível ver as pessoas comprando meu livro, me conhecendo, já que no livro eu estou me desnudando”.

TEXTO/VAN: Beatriz Estima e Clara Mattoso

Salvar

Deixe uma resposta