Hidroginástica: uma atividade de corpo e mente

As
atividades físicas aquáticas vêm se destacando como uma modalidade indicada
para a manutenção das potencialidades físicas e orgânicas. Um dos componentes
desse grupo de atividade é a hidroginástica, que vem ganhando cada vez mais
adeptos. Segundo Waldenaile Tolentino, professora de educação física e de
hidroginástica, a atividade vem mostrado resultados surpreendentes, uma vez que
beneficia diversas o cardiorrespiratório, a mobilidade articular, a coordenação
motora e o equilíbrio, além de combate o stress, tonifica os músculos e
proporcionar a prática de exercícios aeróbicos.
De
acordo com Wesley Batista, fisioterapeuta especialista em hidroterapia e em
RPG, a hidroginástica é realizada em piscina com água quente. “A piscina é um
ambiente de água que não possui a gravidade que temos em terra, assim a água
quente traz proliferação das células. Em nossa articulação temos um líquido
chamado sinovial, que é produzido por meio de movimento. Com isso, os
movimentos produzidos na hidroginástica ajudam a produzir este líquido,
melhorando a articulação”.
Tolentino
afirma ainda que a água possui a força de empuxe que age sobre a da gravidade,
reduzindo o impacto dos movimentos e dando mais força aos exercícios. “Por
isso, a maioria dos movimentos na hidroginástica são circulares ou que empurrar
a água, ou pulos, que não atrapalham no impacto. Diferente do chão que gera
impacto e pode trazer problemas devido a uso inadequado de calçados ou por
falta de acompanhamento de profissional”.
Tanto
Batista como Tolentino asseguram que a hidroginástica é indicada para grávidas,
pessoas com problema de lesão que precisam fortalecer a musculatura, terceira
idade, pessoas que não querem impacto com dor e para o emagrecimento. “Em uma
aula de hidroginástica você perde de 550 calorias”, assegura Batista. No
entanto, Tolentino lembra que o emagrecimento depende da intensidade e da
força, quando mais intensidade em um menor tempo mais calorias serão queimadas.
A
professora explica que ao contrário dos exercícios realizados em solo, a
prática da hidroginástica não é acompanhada por dores, transpiração e sensação
de exaustão. Isso porque, dentro da água, o indivíduo tem a sensação de redução
no peso, o que diminui, de maneira significativa, a tensão nas articulações.
“Como o impacto é reduzido, as dores e os espasmos musculares pós-atividades
praticamente não ocorrem”.
“Tenho
duas hérnias de disco na lombar. Seguindo recomendações médicas fiz algumas
sessões de fisioterapia e depois passei para a hidroginástica, para fortalecer
e aliviar a dor. Com isso, tem mais de um ano que faço hidroginástica e não
sinto mais dor, abandonando até os remédios”, afirma a secretaria de 51 anos,
Marina Oliveira.
Como
explica Tolentino, a hidroginástica é ideal para quem possui problemas de
coluna. “Pessoas com problema de coluna são um dos públicos alvos da
hidroginástica, uma vez que, ela diminui o impacto e a fortalecer a
musculatura. Já a dor, é aliviada devido ao empuxe da água quente batendo na
coluna”.
Hidroginástica
na terceira idade
Aos
73 anos a aposentada Maria Hermenegilda Resende pratica a hidroginástica três
vezes na semana, há mais de quatro anos. “Faço hidroginástica tem quatro anos,
por causa de problemas na coluna e dor nos braços. Eu parei durante um seis
meses e voltou toda a dor. Agora voltei de vez para a piscina e minhas dores
sumiram”.
Segundo
Batista pessoas com mais de 70 anos possuem seus tônus musculares
enfraquecidos, consequentemente as articulações. Assim, surgem as famosas
doenças da terceira idade, a artrose, artrite, osteoporose, osteopenia e
outras, que podem ser prevenidas na água. “Na hidroginástica os idosos
conseguem aumentar a resistência, tendo tônus muscular, proporcionando uma
hemodinâmica vascular, melhorando a força muscular, a flexibilidade e o
equilíbrio, reduzindo a incidência de quedas e o risco de fraturas”, acrescenta
o fisioterapeuta.
Adeus
depressão
De
acordo com a Tolentino, a atividade ajuda a combater a depressão, sendo um
benefício bastante agradável da hidroginástica. “A massagem proporcionada pela
água, por meio da pressão e da resistência causa um efeito suavizante sobre a
musculatura, ajudando a aumentar a circulação periférica do sangue e alivia as
tensões”. Além disso, para Batista, a clima na hidroginástica é descontraído,
com música e em grupo. “É um ambiente que traz a ressocialização das pessoas”.
Segundo
Camila França, a hidro ajudou a superar a fibromialgia – condição dolorosa
generalizada e crônica. “Há dois anos fui diagnosticada com fibromialgia, e
desde lá venho fazendo hidroginástica para amenizar minhas dores musculares.
Mas, acima de tudo, nunca me senti tão bem emocionalmente”.
Conforme
explica a psicóloga Aparecida Mercês Silva, a hidroginástica é como a terapia,
ajuda o indivíduo a relaxar e a pontuar as coisas. “O emocional é trabalhado
junto com a hidroginástica. Muitas vezes é uma atividade em conjunto,
multidisciplinar, onde profissionais de várias áreas trabalham sobre uma doença
ou sintomas que um indivíduo possa a ter. Tendo, muitas vezes, um resultado
muito mais rápido”.
Reportagem e Foto: Natália Resende
Para copiar e reproduzir qualquer conteúdo da VAN, envie e-mail para vanufsj@gmail.com, solicitando a reportagem desejada. É simples e grauito.

Deixe uma resposta