I Conferência de Políticas Públicas para Juventude acontece em SJDR

Evento, realizado no sábado, teve o objetivo de envolver mais os jovens na política

Conferência contou com a presença de autoridades e representantes de movimentos sociais
Conferência contou com a presença de autoridades e representantes de movimentos sociais

A I Conferência Regional de Políticas Públicas para a Juventude, aconteceu no último sábado na Escola Municipal Maria Tereza e contou com a presença de jovens da cidade e também de representantes de movimentos sociais como a União Nacional dos Estudantes, Levante Popular da Juventude e Grupo Dandara. Estiveram presentes ainda autoridades da cidade, como prefeito, vereadores e também um representante do governo de Minas Gerais.

O evento teve como tema principal “As várias formas de mudar as vertentes”, e realizou oficinas que tiveram como objetivo discutir temas como a violência contra a mulher e a LGBTfobia nas comunidades e na educação.

O coordenador de políticas públicas da cidade, Fernando Cintra, informou que um dos principais objetivos da conferência foi mencionar as demandas da juventude que se encontra afastada do poder público. Outro objetivo da conferência foi a eleição para reativar o Conselho Municipal da Juventude, que está inativo há 8 anos.

Os grupos de debates realizados foram para ouvir o que os jovens acham que está bom e o que está ruim, fazer um grande relatório e apresentar para a população e para o Prefeito, para que tome as devidas providências. “O que a gente faz agora é criar lideranças dentro da conferência que serão multiplicadores dentro dos seus grupos”, finalizou. Durante a conferência, houve também a eleição de delegados, que levarão as demandas da cidade para a conferência estadual e, se aprovadas, para a conferência nacional.foto 2 carol

O Conselho Municipal teve sua eleição e foram votados por segmentos: no religioso teve concorrente Luiz Lara com 16 votos e Maria Aline Calsavara com 7 votos; no segmento estudantil teve um concorrente, Luiz Burgarelli com 27 votos; o segmento cultural teve uma concorrente Maria de Paula, do Grupo Dandara com 27 votos; no segmento rural/distrito a única concorrente Maria Eduarda recebeu também 27 votos; no segmento LGBT, Daniel Andrade recebeu 27 votos; no esportivo foram dois concorrentes, Gabriel Azevedo, com 10 votos e Luiz Paulo Barbosa, com 12 votos. Já no segmento de entidades não governamentais, houve três movimentos representados, a ONG Atuação por Cléo Coutinho, que obteve 14 votos, a ONG Anahata, com Lucas de Sousa Teixeira, que obteve 7 votos e o Movimento Escoteiro, que foi representado por Wildson Caldeira e obteve 2 votos.

Os delegados eleitos irão para Belo Horizonte nos dias 2, 3 e 4 de Outubro na Conferência Estadual. Andressa Pestili irá representar a sociedade civil e Fernando Cintra foi indicado pelo prefeito para representar o governo municipal.

Antonio Augusto Garcia Veríssimo, diretor de enfrentamento à violência contra a juventude, da Subsecretaria da juventude, falou sobre como o jovem é a maioria e como deve fazer valer a sua opinião. O diretor ainda citou como a juventude tem que fazer uma revolução cultural ao invés de repetir culturas antigas:

“A juventude tem que ser o momento histórico e tem tudo propício para agora, se a política hoje é confusa para a cabeça da juventude é porque essa política não é nossa, cabe a gente romper com ela e criar outra”. Segundo Veríssimo, a juventude hoje está desorganizada e por isso há tantos protestos sem resultados. Para ele, a juventude precisa se organizar, não importa onde ou como, não importa a ideologia carregada.

Rodrigo Cipriano, um dos fundadores do Movimento Força Jovem, considera que a conferência ajuda a dar autonomia e voz para a juventude decidir o que quer para a sua vida e que, com o conselho formado, a juventude pode ter uma atuação maior nas políticas públicas.

TEXTO/VAN: CAROLINA MONTEIRO COLOMBI

FOTOS: CAROLINA MONTEIRO COLOMBI

 

Deixe uma resposta