"Seu" Jorge, com as medalhas do filho César Castro. FOTO/VAN: Fernanda Almeida.

Jorge: o pai do atleta olímpico

“A partir do momento em que há competição, existe esperança!” (Jorge Rabelo Castro)

"Seu" Jorge, com as medalhas do filho César Castro. FOTO/VAN: Fernanda Almeida.
“Seu” Jorge, com as medalhas do filho César Castro. FOTO/VAN: Fernanda Almeida.

A experiência de toda uma vida e os cabelos brancos não escondem a apreensão do 3º Sargento reformado do Exército Brasileiro, o Sãojoanense Jorge Rabelo Castro, em relação às provas de saltos ornamentais nas próximas olimpíadas. É que seu filho César Castro, vai representar o Brasil mais uma vez no evento mundial realizado a cada quatro anos. “Dessa vez eu vou ver de perto. Eu e minha esposa Gilda, já compramos os ingressos”, garante ele. “A verdade é que ela é mais presente, acompanha mais de perto as competições. Eu fico mais de longe, mas dessa vez não tem como ver só pela TV”.

O filho mora há três anos em Atlanta, nos Estados Unidos, cidade na qual treina a convite de um técnico da Universidade da Geórgia. É casado com Sabrina, vice-consulesa do Brasil naquela cidade e não tem filhos. Segundo o pai, esta será a última competição internacional que Castro, que é brasiliense, deve disputar. “Ele é muito dedicado. Treina de seis a sete horas de segunda a sábado e tem uma alimentação regrada. Se engorda meio quilo, já fica preocupado”, destacou. “Ele garantiu a vaga no último mundial realizado no Rio de Janeiro em fevereiro deste ano. Não pude estar lá, mas estava aqui torcendo”.

Em São João del-Rei, “Seu” Jorge jogou futebol nos clubes Social e Minas e fala com alegria e emoção do filho caçula. “César começou aos 9 anos, quando foi levado por um amigo a um clube em Brasília onde morávamos. Aos 11, já disputava o Campeonato Brasileiro Juvenil em Goiânia em 1993 e ganhou medalha de prata”, finalizou. Dentre tantas conquistas, o momento marcante para o pai foi a medalha de prata no Pan Americano no Rio de Janeiro em 2007. Além de César, com 33 anos, Jorge e Gilda têm outro filho, Alex, de 35. Este último seguiu a carreira do pai e também é militar do exército.

Desfrutando da tranquilidade de seu pequeno sítio “Amanhecer” em Coronel Xavier Chaves, no interior de Minas Gerais, ao lado do cachorro “Obama” – a esposa mora em Brasília – “Seu” Jorge está sempre acompanhando a vida do filho pela internet, através das trocas de mensagens ou pela televisão, onde assiste orgulhoso às reportagens sobre César. Ele também guarda matérias de revistas e jornais que falam sobre o filho atleta que vai participar da quarta e mais importante olimpíada. Assim como Castro, Jorge já percorreu o mundo quando trabalhava na segurança do ex-presidente José Sarney. “Eu ia trabalhar com o Tancredo, mas como aconteceu aquele fato triste (morte de Tancredo em 21/04/1985), eu continuei com o Sarney”.

Rabelo mostra saber bastante dos saltos ornamentais, pois sabe que a altura de César, 1,75m, não é muito apropriada para a prática do esporte. “Ele é um pouco alto para os saltos. Os adversários estrangeiros são todos baixinhos, com pouco mais de um metro e meio”, destacou. “Os países com mais chances de tirar a medalha de ouro do César são: China, México, Japão, EUA, Croácia, Colômbia”. Se existe a possibilidade de vitória do filho nas Olimpíadas, Jorge finaliza orgulhoso: “A partir do momento em que há competição, existe esperança!”

TEXTO/VAN: Diego Alexandre, Fernanda Almeida e Marcelo Alvarenga

Deixe uma resposta