Lutadores são-joanenses destacam-se no Mundial de Jiu-Jitsu

A cidade de São João del-Rei tem agora três campeões mundiais de Jiu-Jitsu. Os atletas da Academia Araidô – Bruno Henrique Cabral, Wesley Aparecido Nascimento e Matheus Carvalho –  ganharam – em suas modalidades  – o Mundial Jiu-Jitsu Esportivo, que foi realizado entre os dias 14 e 17 de agosto, no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo (SP).

Destacando o alto nível da competição, Bruno afirmou que a vitória, que já havia lhe escapado outras vezes, não veio por acaso:

– “A competição foi de alto nível. Tinha vários bons atletas de vários lugares. Me preparei muito para ela, porque duas vezes eu deixei escapar o título nas semifinais, ficando apenas em terceiro lugar, mas graças a Deus consegui trazer o título desta vez.”.

Wesley Nascimento também ressaltou o seu maior empenho neste ano:

–  “Ano passado não fui feliz, só que esse ano me esforcei mais e consegui ser campeão da modalidade.”
O jiu-jiteiro ainda disse estar há apenas dois anos treinando e que a arte marcial japonesa o livrou da ansiedade e do nervosismo.

 Muito feliz com as vitórias no mundial, o treinador Eric Damasceno fala sobre os treinamentos da equipe:
–  “Os treinos aqui são segunda, quarta e sexta e funcionam em três partes: a primeira é preparação física;  a segunda, fundamentos de técnica; e a terceira é luta.”. Damasceno também é enfático ao dizer como a Academia tenta ajudar na vida pessoal dos atletas, principalmente na de crianças e adolescentes:

–  “O jiu-jitsu atua no caráter da pessoa. Por isso, aqui a gente acompanha os boletins, olha se tá tudo bem com a família, tenta ajudar nos problemas em casa.”

Apesar dos bons resultados, quase todos na área ressaltam a falta de apoio para a modalidade:

–  “O jiu-jitsu é um esporte muito bom; falta muito incentivo a ele. Olham muito para outros esportes, mas não para o jiu-jitsu. E ele vem crescendo como a gente já vê a sua presença no MMA.

 O treinador Eric diz que o que resta a ser feito é manter a seriedade da academia, afiliando-se a órgãos como a Federação Mineira, para que, quando os patrocinadores se interessarem, perceberem que estão investindo com qualidade:

–  “A primeira coisa para quem quer lutar jiu-jitsu é procurar uma academia séria, que seja afiliada a Federação Mineira e que possa dar suporte ao aluno”.

Texto: VAN/Brunno Santos, Diego Cabral e Richardson Freitas
Foto: Reprodução Facebook

Deixe uma resposta