Obra prevê a interrupção do lançamento de esgotos no Ribeirão Santo Antônio. FOTO: Prefeitura Municipal de Tiradentes

Mau cheiro do Ribeirão Santo Antônio, em Tiradentes, vai acabar

O Ribeirão Santo Antônio, afluente do Rio das Mortes, está sendo revitalizado na cidade

Obra prevê a interrupção do lançamento de esgotos no Ribeirão Santo Antônio. FOTO: Prefeitura Municipal de Tiradentes
Obra prevê a interrupção do lançamento de esgotos no Ribeirão Santo Antônio. FOTO: Prefeitura Municipal de Tiradentes

De acordo com informações disponibilizadas na página oficial da prefeitura de Tiradentes, no Facebook, em 24 de fevereiro, foi realizada uma reunião com o diretor de engenharia da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), Paulo Lara, o prefeito Ralph Justino, quatro vereadores e o deputado estadual Cristiano Silveira, sobre a assinatura da ordem de serviço para o início das obras de retirada do esgoto do Ribeirão Santo Antônio, um afluente do Rio das Mortes, importante curso d’água da região das Vertentes.

A Copasa informou que o acordo firmado com a prefeitura de Tiradentes prevê a interrupção do lançamento de esgotos no Ribeirão Santo Antônio, revitalizando esse importante curso d’água. “Essa intervenção consiste na implantação de 800 metros de interceptores ao longo do Ribeiro, além da coleta dos esgotos na região.” Ainda segundo a Copasa, as intervenções tiveram início na interligação de rede na Rua Antônio Teixeira de Carvalho. Em seguida, iniciou-se a substituição dos antigos interceptores por novas tubulações e a implantação de redes coletoras de esgoto.

Segundo informe fornecido para o jornal O Estado de Minas em 2015, as obras teriam início em janeiro. No dia 25 de fevereiro de 2016, por meio de uma nota no Facebook, a prefeitura declarou que começariam no dia 15 de março. Apenas em 8 de abril, também pela rede social, a entidade informou o início das obras no Ribeirão, acrescendo que a previsão de término seria de quatro meses.

O prefeito de Tiradentes, Ralph Justino, esclareceu que a obra não teve início em janeiro por questões burocráticas e de logística, pois a empresa ainda estava contratando mão de obra e providenciando o terreno que seria o canteiro de obras.

Para o morador Vítor Paolucci Xavier, o forte mau cheiro e mesmo a aparência do Ribeirão causam uma visão ruim da cidade, tanto para os moradores quanto para os turistas, principal fonte de renda de Tiradentes. “É uma obra que deveria ter sido feita há muito tempo,” avalia.

O prefeito declarou também que essa é uma das mais importantes ações para a cidade e para sua gestão. “Costumo dizer que me tornei prefeito para executar essa obra. Há mais de vinte anos, ouço tiradentinos e turistas reclamarem desse esgoto a céu aberto.” Ralph  frisa que, além do valor turístico, a obra é uma questão de saúde pública.

 

TEXTO/VAN: Juliana Galhardo

Deixe uma resposta