O filme de Thiago Morandi, Tião Paineira, 86 janeiros, é um dos filmes apresentados. FOTO: Divulgação/UFSJ

Mostra de cinema exibe filmes produzidos em São João del-Rei

São João EnCena, apresenta filmes locais à comunidade no Centro Cultural da UFSJ durante o mês de outubro.  A sessão acontece toda sexta-feira às 19h.

Através de uma lente e uma narrativa, as histórias locais são contadas e transmitidas como um filme. São relatos que dão forma a vida de cidades que respiram cultura, como São João del-Rei. Pensando em uma maneira de relacionar cinema, educação e comunidade, alguns alunos do curso de Geografia da Universidade Federal de São João del Rei (UFSJ) criaram uma mostra para exibir filmes regionais. O evento começou dia 14 de outubro e continua até o dia 28.   

A mostra, ao promover um repertório cinematográfico local, permite um contato diferente da população com sua própria realidade. “Picolé do Amado”, produzido e dirigido por Violeta Assumpção e Nádja Ângelo, conta a história do senhor Amado Vieira, a sua produção de picolés e a consolidação de uma tradição na cidade. “Tião Paineira, 86 Janeiros” feito por Thiago Morandi, faz parte de uma série de quatro filmes com temáticas sobre patrimônio imaterial, e fala sobre a história de um ceramista que possui uma relação rica em artesanato e cultura local. “Tudo Que Eu Tenho Vem Daqui” criado e dirigido por André Azevedo e Ruzza Lage, aborda a realidade do lixão de São João del Rei.  

"Picolé do Amado" apresenta uma refrescante história. FOTO: Divulgação/UFSJ
“Picolé do Amado” apresenta uma refrescante história. FOTO: Divulgação/UFSJ

Thiago Araújo Santos, professor responsável pela organização do evento, comenta que possibilitar um contato da sociedade com os filmes produzidos na região, faz com que as pessoas desenvolvam um olhar diferenciado para as questões sociais e culturais da cidade, que antes passaria despercebido ou invisível. “Há um sentido educativo nisso, sem se perder de vista, é claro, o entretenimento”, diz Thiago.  

Depois de cada exibição há um debate entre as pessoas e os organizadores ou produtores dos filmes, a fim de fomentar a opinião acerca dos temas abordados. No dia de estreia da mostra, a discussão foi promovida por Thiago Morandi, jornalista, fotógrafo e videomaker, com a intenção de criar um bate-papo sobre os bastidores que envolvem a produção de um filme: curiosidades sobre orçamento, forma de captação e edição de imagem, relação com agências de financiamento, entre outros.  

O filme de Thiago Morandi, Tião Paineira, 86 janeiros, é um dos filmes apresentados. FOTO: Divulgação/UFSJ
O filme de Thiago Morandi, Tião Paineira, 86 janeiros, é um dos filmes apresentados. FOTO: Divulgação/UFSJ

Morandi, que também possui um projeto chamado Patrimônio História Viva relacionado à iniciativa de cuidar dos patrimônios imateriais da sociedade, conta que a ideia de seus filmes é, de alguma forma, conscientizar as pessoas do bem público imaterial que é a cultura local. “Quando produzo filmes com conteúdos culturais, a minha proposta é que eles sejam ao máximo difundidos, pois tratam de temas que merecem atenção, principalmente em relação a manutenção e preservação”, afirma.

O São João EnCena visa não só a interação da comunidade com a arte dos filmes, mas também uma experiência educacional para os alunos do curso de geografia, que fazem parte da organização. Maria Júlia Prado, graduanda em geografia, é responsável pela divulgação da mostra de cinema e conta que a intenção da apresentação dos filmes é justamente quebrar com o paradigma de que produtos cinematográficos não são eficazes em salas de aula. Dessa forma, o evento torna-se  aprendizado para todos ali presente, seja para a comunidade ou para os estudantes, assim como Maria Júlia comenta: “É possível fazer inter-relações, com o mundo em que vivemos, comparações histórico temporais entre outros“.

A realidade do lixão são-joanesne foi relatada no filem "Tudo que eu tenho vem daqui". FOTO: Divulgação IF Sudeste São João del-Rei
A realidade do lixão são-joanesne foi relatada no filem “Tudo que eu tenho vem daqui”. FOTO: Divulgação IF Sudeste São João del-Rei

A mostra possui um impacto muito profundo para quem está participando. No último filme exibido “Tudo Que Eu Tenho Vem Daqui”, as discussões entorno do lixão de São João, tema abordado no documentário, trouxe à tona uma problemática grave na cidade, e levou o público a comoção, uma vez que o olhar do filme é retratado através dos catadores de lixo.  

O evento acontece toda sexta-feira do mês de outubro, terminando no dia 28. É gratuito, e para participar basta comparecer às 19h no Centro Cultural da UFSJ; “Uma experiência muito positiva, de amadurecimento pessoal e profissional”, revela Maria Júlia.  
TEXTO/VAN: Beatriz Estima

Deixe uma resposta