Nhá Chica é homenageada no carnaval carioca

Nhá Chica é  tema do samba-enredo da escola de samba
Tradição, que vai desfilar no Grupo B do carnaval do  Rio de Janeiro em 2015. Composta por Alex Alves, Thiago Souza, Rômulo
Couto, Victor Alves e Leozinho Nunes, sendo o último também seu intérprete, a
letra conta a história de uma mulher negra, devota de Nossa Senhora da
Conceição,  `a qual carinhosamente
chamava de “Minha Sinhá”. A santa ajudava a ricos e pobres e,  por isso, anos mais tarde, se tornou beata. A
composição também relata sobre o aroma de rosas que perfumou o ar durante o
velório de Nhá Chica, ocorrido entre 14 e 18 de junho de 1895, e que
também foi sentido quando seu corpo foi exumado em 18 de junho de 1998.
Segundo  declarações do Secretário de
Agricultura de São João Del Rei, Rogério Bosco da Silva, a apresentação do samba-enredo para a comunidade
local foi celebrada com festa na região.
Bosco da
Silva, que mediou as negociações com a Tradição,
informou que “desde dezembro, a escola
oferece oficinas voltadas para o carnaval, com cursos de percussão, elaboração
de fantasias e passistas”. Na verdade, a agremiação carnavalesaca
realizou uma parceria com as prefeituras de São João del-Rei, que inclui o
distrito no qual Nhá Chica nasceu, Rio das Mortes, e Baependi, município  onde a beata morou desde  oito anos de idade até sua morte, para criar
uma ala com aproximadamente 100 moradores das localidades.
Secretário de Agricultura de São João Del Rei, Rogério da Silva
salienta que esta não foi a primeira vez
que São João del-Rei foi citada em um samba-enredo. Em 2006, a escola de samba
carioca União da Ilha do Governador conquistou o terceiro lugar do Grupo A, com
a canção “Das Minas Del Rei São João”, que contava sobre o ouro e a fé são-joanense.
Ouça o samba-enredo e acompanhe com a letra abaixo:



NHÁ CHICA: A BEATA NEGRA E GUERREIRA
DO BRASIL!
Autores: Alex Alves, Thiago Sousa, Romulo Couto,
Leozinho Nunes e Victor Alves
Intérprete: Leozinho Nunes

Avante Condor

Viaja Nessa História De Superação
Vai Francisca Guerreira
Iluminada Pela Luz Do Criador
Na África
Ressoa O Tambor
A Nobreza De Uma Raça
“Minha Sinhá”
Aliança De Fé, Esperança E Amor
Livre Pra Seguir Seu Coração
Expressando A Sua Devoção

Divina Missão
O Ideal Que Fez Valer Em Sua Vida
Pedir Em Oração Por Todos Irmãos
O Sagrado Pão Que Os Sacia

As Barreiras Ruiram Em Seu Caminhar
Reluzia A Pureza, Divino Poder…
Seduziu Da Realeza Ao Mais Pobre Ser
Capela Dos Sonhos Surgiu
Determinada A Beata Negra Do Brasil
Deixou No Ar O Aroma De Rosas
Que Perfuma O Meu Carnval
É A Tradição O Jardim Dessa Flor Imortal

Com As Bençãos De Nhá Chica
Com Garra E Alegria
Defendo As Cores Do Meu Pavilhão
Unidos Na Luta, Buscando A Vitória
Isto Sim É Tradição!

Texto: Rafaela Domingueti/ VAN
Foto: Divulgação

Deixe uma resposta