No terceiro dia da 21ª Mostra de Cinema em Tiradentes, entram em cena personagens e atores que discutem a diversidade de gêneros e a inclusão social

Neste domingo (21) a programação da mostra foi extensa, houve desde lançamentos de livros e DVD’s começando ás 11:30 até debates, filmes e por último o show de Sérgio Ricardo no SESC CINE-LOUNGE que teve início ás 23:30.

 

No terceiro dia da mostra, ás 15:30 no Cine  Teatro SESI  continuaram as discussões acerca do tema principal “Chamado Realista”: O corpo e a fala realista nas interpretações num debate mediado por Pedro Maciel Guimarães e com a presença das atrizes Aline Brune e Patrícia Saravy , além do diretor e roteirista René Guerra. O objetivo era pensar e analisar os pontos de vista trabalhados com os atores e demais presentes na composição do “efeito de real”, um requisito em diversas produções contemporâneas.

O debate tomou o viés da diversidade e da inclusão, “Saber que esse é meu terceiro filme que vem aqui para Tiradentes com a estratégia de propagar a diversidade para o público… É por isso que a gente faz cinema , para chegar às pessoas , chegar à discussão, e a presença do João Maria , na frente ou atrás das câmeras é uma coisa muito moderna hoje, que fala sobre o mensageiro, por muito tempo a mensagem foi propagada por pessoas que não se sentiam ilesas, agora o mensageiro tem a legitimidade nas suas próprias marcas e suas próprias vivências.” disse René, que destaca a questão trans em seus curtas. Mais cedo houve também show do Grupo Cantavento, no Sesc Cine Lounge.

Compõem a mesa as atrizes Aline Brune e Patrícia Saravy, o mediador Pedro Maciel e o diretor René Guerra
Compõem a mesa as atrizes Aline Brune e Patrícia Saravy, o mediador Pedro Maciel e o diretor René Guerra. – Fotos/VAN: Victória Souza

João, homem trans e membro da Academia Trans Literária da capital mineira que busca difundir e entender a questão travesti/trans como uma arte, uma cultura elogia o evento, a temática mas faz um apelo à necessidade de pertencimento. “ Aqui na mostra esse tema não é algo que nos contempla de fato, apesar de já termos conquistado isso, o trabalho do René é muito importante, o trabalho que ele faz de inclusão com a população trans , com a garantia da cidadania a essas pessoas porque as vezes os nossos corpos são colocados em lugar de pesquisas, são apropriadas nossas histórias mas a gente continua marginalizado então acho a mostra já teve um ganho em tratar disso. O grande desafio é fazer com que o acesso seja igual, que elas pertençam a esses lugares.”

As programações não pararam por ai, ás 19:45 houve a pré-estreia mundial de Madrigal Para Um Poeta Vivo, um dos longa-metragem escolhidos para serem homenageados na sessão Aurora da mostra de cinema. Com autoria de Adriana Barbosa e Bruno Mello Castanho o filme compõe juntamente com mais 6 títulos, a lista dos escolhidos do ano de 2018.

Por último e não menos importante, para finalizar o dia ás 23:30 houve show e bate-papo com o diretor de cinema, ator, cantor e compositor brasileiro, Sérgio Ricardo.

 

Texto/VAN: Júlia Ribeiro
Fotos/VAN: Victória Souza
Colaboração: Lucas Teixeira

Deixe uma resposta