O Consumismo Moderno atinge a sociedade

Atualmente percebe-se que há uma necessidade do indivíduo de estar inserido na sociedade de consumo. Em São João del-Rei, não seria diferente. É possível observar que os comerciantes buscam trazer cada vez mais produtos que são novidade no mercado.
A estudante de Moda, Iasmim Leão, faz a seguinte colocação sobre a relação dela com o consumo: “acredito que todos nós, independente do nível de apego material, somos instigados a consumir, diariamente. O mercado tem seus artifícios e apelos psicológicos pra produzir desejos em nós, consumidores. Costumo consumir, justamente, quando estou vivendo um momento de fragilidade, onde obter alguma coisa material poderá trazer a falsa e instantânea sensação de satisfação.”
O sociólogo polonês Zigmunt Bauman criou o conceito de Modernidade Líquida que pauta-se pela fluidez da vida moderna, onde os processos são rápidos e os reinícios urgentes. Em função dessa volatilidade, nada pode ser consolidado nesse ambiente e tudo se torna raso e incipiente. A identidade é definida pelo o que se adquire enquanto bens palpáveis e temporários. É preciso fazer a substituição imediata dos produtos recentemente comprados (ultrapassados) pelos novos, para garantir a inserção nesse espaço, e é por isso que o consumo é a expressão exata da Modernidade líquida de Bauman.
Segundo a estudante de Engenharia de Produção da UFSJ, Raphaela Garcia, é notório o aumento do consumismo nos últimos anos. “O alto índice de produtos novos que vêm sendo lançados no mercado quase que diariamente, e a praticidade que eles oferecem, faz com que queiramos sempre estar ‘atualizados’, buscando pelo que há de mais novo no mercado. Em São João, é quase impossível ver um estudante que não tenha um dos modelos mais novos de celulares ou de notebooks, por exemplo. É cada vez maior o consumismo”, declara a estudante.
O estudante de Administração, João Pedro Rodrigues, diz que é instigado a consumir através da publicidade, mas sempre procura escolher produtos que lhe acrescentem algo, sejam essas aquisições feitas por impulso ou não. Considera também o sistema de consumo válido quando utilizado de maneira correta.
VAN/Thais Matias
Foto: Marina Ratton

Deixe uma resposta