Orquestra Internacional leva valores de sustentabilidade para a população

 São João Del Rei recebeu na última semana de agosto, o projeto Marcha pela Terra. O grupo faz parte de uma organização mundial denominada Nomads United, que desde 1998 atravessa a cavalo países por todo o mundo, e é composta por cerca de 300 pessoas de 30 nacionalidades diferentes. Eles realizaram uma apresentação no largo do São Francisco de Assis no dia 31 de agosto e uma cavalgada rumo a Tiradentes no dia 3 de setembro.

A orquestra internacional apresentou diversas atrações de teatro, malabarismo, comédia e de música com repertorio de varias partes do mundo. Os eventos são misturas de musicas étnicas com danças resgatadas de diversos países como a dança africana, árabe e flamenco. Os dançarinos usam de tochas de fogo, acrobacias com palhaços e cavalos, além da grande interação com o público presente nas apresentações.
Segundo Kareen Kohn, integrante da Nomads United, o grupo desenvolve diversos tipos de projetos como marchas, apresentações culturas, reflorestamento, cavalgadas, além de um trabalho de educação ambiental com crianças. O trabalho de educação ambiental inclui reciclagem e reflorestamento aliado ao teatro, tudo para uma reeducação ambiental a partir dos problemas de sustentabilidade vividos pela sociedade nos dias de hoje.
Kareen afirma que todos os integrantes da organização são estritamente vegetarianos, não usam do oxigênio, uma vez que andam a cavalo e compram apenas a comida local, uma iniciativa revolucionária em um mundo ameaçado pelo aquecimento global. Seu trabalho se adapta aos lugares por onde passam, levando movimentos de paz para que a onda de conscientização ambiental seja aceita de forma satisfatória pela população.
Além da conscientização ambiental, o grupo encanta o publico por onde passa, levando cultura e diversão em suas apresentações. Jonas Augusto, Assessor de comunicação da prefeitura, afirma que acredita que a mensagem que o grupo passa seja muito interessante, é a mensagem de uma relação amistosa com a natureza, ou seja, um formato não agressivo com o meio ambiente. Já a estudante Laís Dalariva acredita ser uma ótima iniciativa por levar cultura para a população, o que as vezes, é feito de forma precária na cidade.
Com o tempo, o movimento passou a ser a caravana maior e mais culturalmente diversificada do mundo. Em 2006, o grupo foi reconhecido como uma ONG. Kareen denomina o grupo como uma tribo evoluída que encontrou uma nova forma de vida, tomando um passo a frente de todos os problemas ecológicos vividos na atualidade. Eles buscam revitalizar valores naturais ajudando a reverter certos padrões de destruição ambiental, com métodos culturais para conscientizar a população local. O Brasil é o nono país por que eles passaram nos últimos três anos, espalhando sua forma e filosofia de vida.
Texto: Talita Andrade

Para copiar e reproduzir qualquer conteúdo da VAN, envie e-mail para vanufsj@gmail.com, solicitando a reportagem desejada. É simples e gratuito.


Deixe uma resposta