Passagem de transporte público sofre reajuste em Barbacena

Barbacenenses
saem às ruas contra o aumento na tarifa

A tarifa de ônibus em Barbacena está mais cara. O reajuste
no valor do transporte público, que passou de R$2,20 para R$2,45, foi aprovado
no final de julho, por meio de uma licitação da Prefeitura. A empresa Cidade
das Rosas venceu o processo licitatório, pois segundo a prefeitura, atendeu
melhor às condições no edital; por isso, vai ser responsável pelo serviço nos
próximos 20 anos. Além do reajuste na passagem, que será anual, o edital prevê
também a inserção de serviços aos usuários do transporte coletivo, como o
sistema de controle de operação e a adoção de novas tecnologias, tais como a
bilhetagem eletrônica.
No último
dia 03,  logo depois da divulgado do
reajuste, moradores do bairro Monte Mário realizaram uma manifestação contra o
aumento da tarifa de ônibus. Reivindicaram, também, o retorno da empresa de
coletivos que atendia a região anteriormente.
Um novo
manifesto, organizado pelas redes sociais, aconteceu na noite de sexta-feira,
22 de agosto, na região central de Barbacena. Cerca de 250 pessoas – segundo
dados da Polícia Militar –  concentraram-se
no Jardim Municipal e percorreram o centro da cidade, com cartazes e faixas
pedindo a anulação do aumento da passagem. Outra reivindicação da população era
a implantação do passe-livre para estudantes, além de melhores condições do
transporte, já que muitos se encontram em péssimas condições de conservação.
A estudante
Thays Emanuel de Fátima Albuquerque (26 anos), moradora do bairro Santa
Cecília, esteve na manifestação e diz que o ato é importante para que os
políticos vejam que a população está atenta aos acontecimentos.  “A população deve sim, vir às ruas para
reivindicar, já que é um direito nosso”, afirma. A estudante finaliza, explicando
que os pontos de ônibus estão em péssimas condições, os transportes oferecidos
pela empresa Cidade das Rosas estão defasados, com os estofados rasgados e
sujos; ela critica, ainda, a falta de informação por parte da Prefeitura,
quanto ao processo licitatório.
Para Daniel
Gonzaga Miranda, que faz mestrado em História e é um dos integrantes da
Organização Brigadas Populares de São João del-Rei, o movimento cumpriu seu
papel, informando a população e ao Poder Público que há pessoas insatisfeitas e
dispostas a trabalhar para que o transporte público melhore e que seja cobrada
uma tarifa realmente justa. “Se a manifestação não continuar, as coisas
vão permanecer da forma como estão”, frisa o estudante. Miranda ainda ressalta
sobre as Brigadas Populares, que atuam na luta junto à população e que, em São
João del-Rei, no ano passado, conseguiram anular o aumento da passagem:
– “Há sempre empresas atreladas ao Poder Público, que
se aliam e o corrompem, para poder conseguir aumentos sem melhorias na
qualidade do transporte público”.
DECRETO
MUNICIPAL É REVOGADO

Um Decreto
Municipal, publicado no Diário Oficial Eletrônico de Barbacena, no dia 12 de agosto,
prevê que o embarque e desembarque de passageiros do transporte público
intermunicipal, interdistrital, internacional ou de turismo deverá ser feito,
exclusivamente, no Terminal Rodoviário de Barbacena. A determinação entraria em
vigor 30 dias após a sua publicação.
Na manhã do
dia 20 de agosto, a Prefeitura revogou o decreto. O documento, publicado na
deliberação do dia 12, foi republicado com o acréscimo de um parágrafo que
permite que o município determine exceções à regra, após os devidos estudos
técnicos e justificativas que tenha fundamento.
Carlos
Roberto Batista, mais conhecido como Kikito, vereador da cidade, declara que
sua posição é totalmente contrária. Para ele, o que vivemos hoje em Barbacena é
uma situação esdrúxula. A nossa Lei orgânica define que, para alterações e
mudanças em questões como transporte deve ser garantida a participação popular;
diz, ainda, que o preço da passagem deve ser compatível com a realidade
econômica de nossa cidade. Outro ponto sério, segundo o vereador, é a Licitação
que envolveu apenas uma empresa (segundo o Edital), provocando uma série de
obrigações que deveriam ser cumpridas antes do estabelecimento do preço. Kikito
afirma que apenas com a participação popular chegaremos a mudanças profundas, o
cidadão e cidadã não podem manter-se distantes de situações que impactam
severamente o seu dia a dia. “Apresentei na última semana um Projeto de
Emenda Constitucional que determina que toda questão relativa a reajuste de
passagens deve ser feita por meio de projeto de lei (a ser discutido e aprovado
ou não pela Câmara Municipal), bem como deve ser antecedido de audiência
pública; o que não é feito hoje”, completa o vereador.

Outra
manifestação, também mobilizada pelas redes sociais, está marcada para o dia
28. Até o momento, a Prefeitura não fez nenhuma declaração sobre os manifestos.
A população de Barbacena segue insatisfeita com o reajuste da passagem e com os
serviços prestados pela empresa Cidade das Rosas.
Texto: VAN/ Mariane Motta e Vinícius Costa
Foto: Mariane Mota

Deixe uma resposta