Período de chuvas causa transtornos para São João del-Rei

São João del-Rei, anualmente, enfrenta
graves problemas com as chuvas, principalmente na época das cheias. Em janeiro
de 2012, ruas ficaram interditadas, famílias desalojadas e, inclusive,
ocorreram mortes. Este ano a Defesa Civil, em parceria com a Prefeitura
Municipal, lançou o “Plano de Contingência de Proteção e Defesa Civil do
Município” com o objetivo de garantir a integridade física e moral da
população, bem como a preservação do patrimônio público.
Segundo o chefe da Defesa Civil de
SJDR, Maurilio Andrade, o plano está direcionado principalmente às questões que
mais afetam a cidade: as inundações e deslizamentos de terra. “Nós não temos como
evitar um desastre da natureza. Então a nossa posição se trata, praticamente,  da prevenção e de como facilitar a vida dos
cidadãos para que a rotina volte ao normal, após o desastre”, declara.
De acordo com Maurílio, no plano de
contingência, existe um cronograma de ações e cada secretaria recebeu uma cópia
deste plano. Nele, encontra-se como estão sendo trabalhados os meses de agosto
a setembro, com dados sobre a forma de prevenção utilizada; a situação dos
locais; a ação efetivada para melhoria; os meios empregados, entre outros.
Para a coordenadora
de uso e parcelamento do solo, Ana Lúcia Lourenço – que representa Maria Cristina
Alves Pereira, secretária de desenvolvimento urbano e sustentabilidade -,
a parte a elas designada é a paisagística da cidade. “A secretaria do meio
ambiente não trabalha diretamente com a prevenção da enchente. O que a gente
faz pra poder evitar são: a limpeza dos parques, dos jardins da cidade, para
que o acúmulo de sujeira e vegetação nos jardins, não entupa os bueiros, não vá
para os córregos, não assoreie os córregos”, explica a coordenadora.
 Segundo Ana
Lúcia, a secretaria do meio ambiente também ajuda na educação ambiental
conscientizando a população através de alguns trabalhos específicos nos
bairros, conferências pra conscientizar a não jogar lixo em local inapropriado para
que evite aterro e corte de árvore em locais inapropriados.
 A estudante de arquitetura da UFSJ, Tatiane
Estevan, acredita que São João del-Rei deixa a desejar na sua infraestrutura.
“A cidade não está preparada para qualquer tipo de chuva. A situação pode
melhorar se os governantes tomarem medidas imediatas e também avisarem aos
moradores, que moram em zonas de risco, os perigos que correm ao viver naquele
local”, finaliza a estudante.
VAN/Fernanda Rezende, Larissa Garcia e Gisele Puygcerver
Foto:Marlon de Paula

Deixe uma resposta