Foto- Sagner Alves

Pianista inglês realiza concerto em São João del-Rei

A cidade foi palco de Daniel Roberts, discípulo de aclamados pianistas europeus

 

Foto: Sagner Alves
Foto: Sagner Alves

São João del-Rei amanheceu em clima londrino na última sexta-feira (19). Foi nesse cenário de frio e chuva que a cidade recebeu o pianista britânico Daniel Roberts, em um concerto realizado no Teatro Municipal. Apesar do valor acessível (R$40,00 entrada inteira R$20 meia entrada, comprada na hora), , o evento recebeu um público restrito, provavelmente devido às condições climáticas. O recital teve início por volta das 19:30 horas, com uma peça de Peter Feuchtwanger, seu professor alemão. A audição compreendeu obras de conceituados compositores eruditos, como Beethoven, Liszt e Rachmaninov.

“Tico-tico no fubá”, uma das canções brasileiras mais conhecidas no mundo com autoria de Zequinha de Abreu e imortalizada na voz de Carmem Miranda, também foi apresentada pelo pianista em uma roupagem diferente. O novo arranjo trouxe, ainda, um pequeno trecho da música “Garota de Ipanema”, mais uma obra nacional renomada, de Vinícius de Moraes e Antônio Carlos Jobim.  

Um pouco sobre o pianista

 Daniel Roberts nasceu em Londres e teve seu primeiro contato com um piano aos 5 anos, quando descobriu os sons do instrumento tamborilando as chaves do piano de seu avô. A brincadeira, serviu de inspiração para começar a fazer aulas aos 9 anos.

Ele graduou-se em música pela Leeds College. Estudou com as pianistas Helen Reid e Natalia Strelchenko e também com o compositor alemão Peter Feuchtwanger, que foi seu professor em Londres.

O pianista já se apresentou em concertos como “Beethoven Piano Society of Europe”, “St James Piccadilly” e recitais com Hannah Woolmer no London’s Foundling museum, Southwark Cathedral e “The Wales Millennium Centre” em Cardiff, País de Gales.

Daniel realizou audições também na Noruega, Alemanha e Estados Unidos. No Brasil, os eventos foram nas cidades de São Paulo capital, Petrópolis (RJ), Juiz de Fora, Matias Barbosa, Mar de Espanha e São João del-Rei em Minas Gerais.  

Entrevista

Momentos antes do concerto, o pianista Daniel Roberts cedeu à VAN uma breve entrevista, além de nos deixar acompanhar seu ensaio em cima do palco. Com muita simpatia, Roberts ainda brincou sobre seu sotaque britânico, tudo porque um de nossos repórteres não compreendeu sua fala sobre uma rede social famosa. A confusão gerou bons risos.

Como você se tornou um pianista?

Eu pratiquei por muitos anos, além disso, tive muitos professores bons também. Sou muito apaixonado pelo meu trabalho, o que me mantém disposto a me esforçar e praticar mais.

Você sempre quis trabalhar na indústria musical?

Sim, eu sempre quis me apresentar (como pianista) e também compor peças.

Quem ou o que foi sua maior inspiração e influência?

Foi um concerto de um grande pianista inglês que eu prestigiei quando era adolescente. Aquilo me inspirou muito.

Quanto tempo você se dedica praticando piano por dia?

Costumo praticar de três a quatro horas por dia.

Em sua opinião, o que marca um bom pianista?

Pra mim, um bom pianista é aquele que nunca para de praticar e se dedicar arduamente. É preciso se concentrar na música.

Quantas vezes você já esteve no Brasil?

Eu já vim pra cá mais de dez vezes.

Quais são suas impressões sobre o Brasil e os brasileiros?

Eu gosto muito do público daqui, que prestigia meus concertos, é um público muito agradável. Na verdade, os brasileiros em geral são muito amigáveis.

O que você acha sobre a música clássica brasileira?

Eu acho bem legal, eu adoro ouvir (Heitor) Villa-Lobos.

Tem algum musicista brasileiro que você aprecia em especial?

Sim, eu gosto muito do Nelson Freire, o pianista brasileiro. Ele toca as melhores peças clássicas, realmente muito boas.

E de outros ritmos, tem algum?

Hmm… Eu também gosto bastante do trabalho do (Tom) Jobim.

Você considera que os brasileiros apreciam a Música Clássica como os europeus?

Na verdade, eu acho sim, porém de uma forma diferente. Isso se deve ao foto de os brasileiros não serem de onde essa música vem.

Por que você escolheu o repertório de hoje? (Repertório apresentado no dia da entrevista)

As peças que escolhi para a apresentação de hoje são as primeiras que pratiquei com o mentor que mais me ajuda. Eu adoro compartilhar a música dele. Também, como é a primeira vez que me apresento em São João del-Rei, resolvi escolher um repertório qual acredito que todas as pessoas vão gostar.

Texto VAN: Yasmim Nascimento, Felipe Souza e Samuel Fagner Alves

Deixe uma resposta