População de Ouro Branco pretende levar manifestações adiante

Nos últimos meses, uma onda de protestos atingiu o país, e Ouro Branco não ficou de fora. No dia 25 de junho, cerca de mil pessoas se reuniram e foram para as ruas. Segundo a líder do protesto na cidade, Bruna Raíssa, o evento era para, além de apoiar as grandes manifestações que ocorriam nas capitais, reivindicar algumas melhorias para a própria cidade. A principal delas foi a do transporte público, mas a pauta cresceu e a população passou a exigir também melhores condições de educação, saúde e moradia.

Alguns dias após o protesto em Ouro Branco, a prefeita Cida Campos (PSD) fez um pronunciamento, apoiando a população e prometendo algumas mudanças no transporte da cidade, entre elas a redução da tarifa de R$2,20 para R$2,00, a fixação da passagem estudantil (R$1,20), o aumento na frota (mais 7 microônibus) e as linhas exclusivas para hospitais. Vale ressaltar também a ativação da Ouvidoria Municipal.

Apesar da grande aceitação da população sobre a fala e as promessas da prefeita, o primeiro protesto ressaltando o transporte público possibiitou que viessem à tona outras insatisfações gerais na cidade. Os moradores da cidade aguardam respostas sobre o transporte e pretendem continuar os manifestos, visando principalmente a situação precária das escolas estaduais (onde faltam cadeiras, mesas, laboratórios, professores) e a demora no atendimento e no sistema de saúde pública da cidade.

A luta pelos direitos dos cidadãos de Ouro Branco se concentra na página virtual do movimento (Vem Pra Rua OB – Manifesto Organizado), onde são discutidas as pautas a serem reivindicadas pelos líderes aos representantes do município e marcadas as manifestações.

VAN / Michele Oliveira; Stella Sampaio
Foto: Michele Oliveira

Deixe uma resposta