Autoridades se reuniram para discutir a permanência do projeto na escola

Projeto inovador pode ser encerrado em escola de Tiradentes

Autoridades se reuniram para discutir a permanência do projeto na escola

Autoridades se reuniram para discutir a permanência do projeto na escola

A Escola Municipal João Pio no bairro Águas Santas em Tiradentes hospeda um projeto de ensino em tempo integral considerado inovador no Brasil pelo Ministério da Educação. O método de ensino para as crianças de 4 a 10 anos é baseado na conceituada Escola da Ponte de Portugal. Desenvolvida pelo professor e pedagogo, José Pacheco, a técnica de ensino enfatiza a democracia, trabalhando a autonomia e a individualidade dos alunos; seu objetivo central é estimular a formação do indivíduo como ser humano. Entretanto, esse projeto, que ocorre durante o turno da tarde, pode ser encerrado e a escola pode voltar a oferecer somente o ensino regular durante a manhã.

No dia 26 de janeiro, uma reunião para tratar do assunto contou com a presença de pais e professores e também de autoridades da prefeitura e da Secretaria de Educação de Tiradentes. Segundo a secretária de educação de Tiradentes, Nancy Malta, como a Escola João Pio tem mais alunos da cidade de São João del Rei. Como a prefeitura de Tiradentes tem realizado um intenso corte de gastos, o projeto não teria mais verba para continuar atuando sem a parceria da Prefeitura de São João del-Rei, a fim de repartir as despesas.

Desde outubro de 2016, pais dos alunos e professores tem se mobilizado de forma a tentar garantir a permanência desse método de ensino diferenciado, com um abaixo-assinado de mais de quinhentas assinaturas. Segundo eles, a importância do projeto é ensinar constantemente valores como afetividade, responsabilidade, respeito, honestidade e solidariedade. O processo de avaliação da escola também apresenta um diferencial: é contínuo, dinâmico e cumulativo, com prevalência dos aspectos qualitativos, ao invés da abordagem quantitativa, que acontece nas escolas convencionais. Isto significa que o projeto não prepara o aluno apenas para os exames de mudança de nível tais como o ENEM, mas sobretudo para a formação de cidadãos conscientes, comprometidos com a sua realidade.

_DSC0004
Autoridades se reuniram para discutir a permanência do projeto na escola

Janaina Simplício, que faz parte da associação de pais da Escola João Pio, conta que realizou uma viagem por todo o Brasil de forma a mapear as escolas que oferecem métodos de ensino pioneiro. “De todos os projetos que eu conheci, escolhi o de Tiradentes e eu só cheguei até aqui porque eu acessei o mapa do MEC e vi que Tiradentes estava privilegiada com uma projeção internacional com o que existe de mais inovador em educação”, explica.

A proposta dos pais é de manter na João Pio apenas os alunos de Tiradentes e trazer o método de ensino para outra escola na Cidade dos Sinos para que as crianças são-joanenses não sejam prejudicadas pela ausência do projeto. Nesta sexta-feira, dia 03 de fevereiro, às 18h, a escola João Pio irá receber a resposta das Prefeituras das cidades de São João del-Rei e Tiradentes. “Tem que haver um interesse maior do poder público na educação, porque, nós da família estamos na luta. Nós não vamos desistir do projeto”, esclarece Janaina.

O programa de extensão Psicoeducar da Universidade Federal de São João del-Rei realiza algumas atividades na Escola João Pio com psicologia escolar, educomunicação e teatro. Esse programa tem foco na educação básica escolar e conta com onze professores de diferentes departamentos da UFSJ. O professor do departamento de psicologia e coordenador do programa de extensão, Dener Silva, explica que o modelo da Escola João Pio é centrado no princípio da “comunidade de aprendizagem”.

“Lá na João Pio há três anos a gente vem inserindo essa modalidade de trabalho. Eu participo como voluntário semanalmente para auxiliar nas atividades diárias, porque esse modelo precisa da participação de outros personagens, além dos professores”, relata Silva. O professor também afirma acreditar que a escola se tornou um modelo de referência na região

Os pais também estão buscando apoio para manter o projeto, caso a iniciativa seja recusada pelas Prefeituras. Os interessados podem contribuir com recursos humanos – como oficinas e atividades para as crianças, e também financeiros para ajudar na merenda das crianças, por exemplo. Contatos para mais informações podem ser realizados pelos telefones 3371-3706 (Janaína); 9 9811-2567 (vivo, Verônica) e 99997-06221 (vivo,  Profa. Maria).

 

 TEXTO/VAN: Elaine Maciel

Deixe uma resposta