Skip to main content
FOTO: Divulgação

Quarta edição do Encontro de Bandas de Santa Cruz de Minas traz novidades

Horário diferenciado, nova estrutura, implementação de barracas de quitute e mesa de artesanatos marcam a edição deste ano

FOTO: Divulgação
FOTO: Divulgação

Neste domingo (17), acontece a quarta edição do Encontro de Bandas de Santa Cruz de Minas. O evento começa a partir das 14h, na Praça São Sebastião. Com programação diferenciada, o encontro traz muitas novidades este ano.

Segundo um dos integrantes da equipe de coordenação do evento, Gleidson Jordan dos Santos, as mudanças em relação às edições anteriores começam com o horário. As atividades acontecem à tarde. Nesta edição, não há apresentações individuais, mas um esquema de rodízio, em que todas as bandas estarão juntas na praça e, a cada hora, uma banda apresenta uma música do seu repertório. Esse formato permite uma maior interação entre os participantes e oferece ao público repertório bastante variado e sem intervalos. Ao final das apresentações, o tradicional bandão executa o Dobrado Dois Corações, de Pedro Salgado, e mais uma música surpresa.

Outras novidades são a presença de um luthier do Rio de Janeiro, que irá vender e doar acessórios para as bandas de música; comércio de quitutes, para arrecadação de fundos para a Corporação Musical São Sebastião de Santa Cruz de Minas; e uma mesa de artesanatos, cuja arrecadação será destinada à Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae).

Várias corporações musicais foram convidadas. Até o momento, as bandas confirmadas, além da anfitriã Corporação Musical São Sebastião de Santa Cruz de Minas, são: a Banda Sinfônica do Santuário do Senhor Bom Jesus de Matosinhos, de São João del-Rei, a Corporação Musical Santa Cecília, de Piedade do Rio Grande, a Sociedade Musical Lira Santa Cecília, do distrito de São Miguel Arcanjo do Cajuru, e a  Banda Municipal Lira Santa Cecília, de Bom Sucesso.

 

Interação e aprendizado

O regente da Banda Sinfônica do Santuário do Senhor Bom Jesus de Matosinhos, o militar Ronaldo de Oliveira Medeiros, participa desde a primeira edição e percebe que a cada ano o evento vem evoluindo e ganhando mais vultuosidade. Em sua opinião, a organização do evento preocupa-se com a verdadeira interação entre as bandas. Para isso, trabalha muito e, paralelamente, colhe novidades. Esse empenho tem como objetivo fortalecer a cultura musical local e mostrar à população os valores das bandas de músicas.

Ele também ressalta a importância do encontro para divulgar as bandas e aproximar o público. Para ele, o evento contribui em vários aspectos para o desenvolvimento das instituições, seja com o aumento da autoestima, da disciplina, do companheirismo e, até mesmo, do aprendizado.

A percepção da professora de música e membro da Banda Sinfônica do Santuário do Senhor Bom Jesus de Matosinhos, Estefany Cipriano da Silva, sobre o evento é similar à do regente. Para ela, o encontro promove a interação entre grupos, novas experiências,  e possibilita a descoberta de músicas diferentes, novas amizades, além de valorizar a cultura musical.

 

Acesso e incentivo à cultura

O encontro de bandas não só aumenta o acesso à cultura, como também influencia os moradores da região a participarem de atividades culturais diversas. Gleidson Jordan dos Santos relata que, a cada ano, o evento recebe mais apoio. Ele percebe que a própria corporação musical tem sido vista de uma forma mais positiva.

De acordo com o musicista, após eventos como esse, a população sente-se estimulada e há uma grande procura por pessoas interessadas em fazer parte da banda. Além disso e do carinho da população, novos admiradores se disponibilizam a apoiar a entidade. Para ele, isso é um indicador de amadurecimento cultural da população. “Quando as pessoas entendem que não se trata apenas de uma iniciativa cultural, mas também socioeducativa, ficamos ainda mais satisfeitos com nosso trabalho”, conta.

Já o regente Ronaldo de Oliveira Medeiros chama atenção para a força e a tradição das corporações musicais. “Uma banda de música é um fator cultural para a formação de um povo. A cada dia, convenço-me mais dessa verdade… Atravessamos gerações com o mesmo propósito e nunca saímos de moda…”, conclui.

 

TEXTO/VAN: Scarlet Freitas

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: