Lateral-esquerdo teria sido vítima de racismo em jogo pela Segundona

Racismo na Segundona do Mineiro

Jogador da equipe do Figueirense, Adriano, teria sido chamado de macaco durante a partida de ontem

Lateral-esquerdo teria sido vítima de racismo em jogo pela Segundona
Lateral-esquerdo teria sido vítima de racismo em jogo pela Segundona

Imagine a situação na qual você está em seu emprego tentando fazer o seu melhor profissionalmente. De repente, chegam duas palavras ao seus ouvidos: “crioulo” e “macaco”; ditas, devido ao fato de você ser negro. Foi com essas ofensas que o lateral-esquerdo Adriano, jogador da equipe do Figueirense de São João del-Rei atuou durante todo o segundo tempo na partida do último domingo. “Se soubessem o quanto dói, não fariam isso. Fiquei muito abalado e triste”, lamentou o são-joanense Adriano.

Deixando, em partes, as polêmicas de lado, o Figueira deixou escapar pontos que podem fazer a diferença no final da competição. O Alvinegro saiu na frente com o artilheiro Felipe Capixaba de cabeça, mas acabou levando a virada por 2 a 1, mesmo jogando boa parte do segundo tempo com um homem a mais. A partida foi válida pela 5ª rodada do hexagonal final da Segunda Divisão do Campeonato Mineiro. Com a derrota no estádio Juca Pedro, na cidade de Formiga, o Tigre do Bom Pastor ficou há 4 pontos do segundo colocado.

Racismo no Juca Pedro

Adriano lamentou o ocorrido e pediu ações das autoridades
Adriano lamentou o ocorrido e pediu ações das autoridades

Segundo Adriano, aos 44 minutos da primeira etapa, ele foi cobrar um lateral perto da torcida quando ouviu as injúrias raciais. O quarto árbitro foi avisado pelo próprio jogador, porém ignorou o fato. De acordo com o atleta, ele então avisou o árbitro principal, que parou a partida imediatamente, até que o “torcedor” fosse retirado do estádio, deixando claro que não foi a instituição Formiga Esporte Clube e nem sua torcida. Adriano ainda destacou que os atletas do Formiga o apoiaram até o final do jogo.

Muito se falaram nas redes sociais, fato é que ninguém sabe ou não quis dizer o nome do infrator. Já pessoas ligadas a cúpula Alvinegra iriam entrar com todas as medidas cabíveis na FMF (Federação Mineira de Futebol).

Ocorrência foi relatada pelo árbitro na súmula do jogo
Ocorrência foi relatada pelo árbitro na súmula do jogo

O treinador Luis Henrique Arantes disse que o fato está relatado na súmula oficial da partida e, que, alguém terá que pagar por isso: “Essas coisas não podem mais acontecer no futebol brasileiro” frisou.

“Eu espero que as autoridades, Polícia Militar e Federação Mineira de Futebol façam seu papel para que isso vá diminuindo. Eu realmente tenho pena desse rapaz e das pessoas que tenham o mesmo pensamento”, comentou o lateral esquerdo Adriano.

Na página oficial da equipe do bairro Bom Pastor no Facebook, as mensagens de apoio ao atleta vieram de várias partes do Brasil por causa do ocorrido. O clube disse esperar medidas mais enérgicas dos órgãos competentes.

CASO ARANHA

No final do mês de agosto do ano passado, o goleiro Aranha foi chamado de “macaco” por torcedores gremistas, no Rio Grande do Sul. O caso ganhou repercussão nacional e os gaúchos foram eliminados da competição. O racismo na Segundona do Mineiro seria analisado de forma diferente dos times grandes do Brasil?

TEXTO/VAN: DIEGO CABRAL

FOTOS: DIVULGAÇÃO/ ASSESSORIA DE IMPRENSA – FIGUEIRENSE ESPORTE CLUBE

Deixe uma resposta